Crónica Urbana: a Rota dos Arrependidos

Rui Marote

A Rua do Quebra-Costas tem-se assumido ultimamente como um ponto essencial no roteiro dos arrependidos. E é a propósito desse fenómeno que hoje vou relatar-vos duas historiazinhas:

1 -Quando era escuteiro, tirei a insígnia de acólito, sendo o meu mestre o chefe Adelino Rodrigues, que era muito exigente. Não era nada fácil, pois tínhamos que saber os nomes das peças do vestuário que o sacerdote envergava para ato litúrgico, e ajudar à missa quando esta era celebrada em latim. Recordo, a propósito, o Acto de Contrição em latim:

Deus meus, ex toto corde paenitet me omnium meorum peccatorum, eaque detesto, quia peccando, non solum poenas a te iuste statutas promeritus sum, sed praesertim quia offendi te, summum bonum, ac dignum qui super omnia diligaris. Ideo firmiter propono, adiuvante gratia tua, de cetero me non peccatorum peccandique occasiones proximas fugiturum. Hoje há quem não saiba em Português.

2- Vou lembrar aquilo que o povo apelidou de “ir à Caixa” (nos dias de hoje a referência perdura na Terceira Idade) quando necessitava de consultar um médico, quer de clínica geral ou da especialidade. Era raríssimo irmos ao Hospital em busca de uma consulta. O ritual era o seguinte: muníamo-nos de uma ficha e aguardávamos a chamada que era anunciada por uma funcionária em alto e bom som, nos seguintes termos: “3 e 4 para Sr. Dr. Remígio, 6 para Dr. Malheiro, 8 e 9 para a vista, 1 e 2 para a irmãzinha chefe, 7 para o penso”. Tudo isto se processava pela tarde em ritmo acelerado. A nossa lembra mais as consultas do Professor Bambo anunciadas na imprensa diária.

Toda esta introdução é para nos situar na versão que segue. A Rua do Quebra Costas, em que sou residente há mais de 40 anos, tem no seu  término uma casa a que vou chamar Casa Cor de Rosa nº 2, que vem manifestando uma via sacra constante de visitas de arrependidos em busca da cura para os males de que padecem, tornando-se um autêntico “muro de lamentações”. Todos querem rezar o acto de contrição (em Português) e receber a água benta como se tratasse de estarem possuídos pelas forças do mal.

O Funchal Notícias já pensou fazer uma lista com fotografias, para que não possamos ser acusados de calúnias e ameaçados de tribunal, como vem acontecendo nos últimos tempos.

Termino com uma frase bíblica: “Jesus disse a Pedro: antes de o galo cantar tu me negarás três vezes”. E assim foi…  “eu não conheço o Mestre”…