“Mais Porto Santo” não pretende concorrer à linha ferry mas pede caderno de encargos ao Governo

“Mais Porto Santo” de José António Castro.

O Movimento Mais Porto Santo requereu na passada terça feira, dia 18 de Julho, ao presidente do Governo, Miguel Albuquerque -responsável directo no executivo pela pasta do Porto Santo- cópia do cadernos de encargos sobre a operação Ferry para Madeira e o Porto Santo.

Segundo uma nota hoje emitida, o movimento de cidadãos lembra ao presidente do Governo que tem legitimidade de requerer o caderno de encargos por ser uma associação juridicamente constituída e o único movimento cívico desta natureza em actividade no Porto Santo, “o que faz aumentar e muito as suas responsabilidades sociais e económicas na defesa do Porto Santo”.
Neste contexto, e considerando que o Porto Santo e os Porto Santenses são parte “muito” interessada neste assunto, no seguimento do anúncio da reunião do conselho do Governo de quinta-feira em aprovar o caderno de encargos da operação ferry, importa que os Porto Santenses conheçam os termos em que estão previstos no documento a operação Ferry para o Porto Santo, e se estão devidamente defendidos atempadamente os seus interesses.
Para isso, o movimento de cidadãos Mais Porto Santo, apela em nome da transparência e do direito à participação e dever de informação, o envio do documento por parte do presidente do governo Miguel Albuquerque, ainda antes de ser lançado o concurso internacional.
“Facultar esta documentação é uma condição necessária para o exercício pleno e efectivo da Democracia. O tempo de os Porto Santenses serem confrontados com as decisões já como factos consumados faz parte do passado e se o governo nada tem a esconder não se compreende a demora em responder e a disponibilizar a documentação”, justifica.