Rubina Leal defende um Plano de Mobilidade para o Funchal

Rubina encontros com a cidade B
Nos “Encontros com a Cidade” Rubina Leal defendeu um Plano de Mobilidade para o Funchal.

Um Plano de Mobilidade para o Funchal é o que propõe a candidata do PSD à Câmara da capital, Rubina Leal. Isto porque, como diz, “não é possível ter uma Cidade acessível com medidas avulsas”.

“Hoje em dia as cidades devem ser acessíveis para todos, inclusivas e com condições que levem a que as pessoas se sintam confortáveis na sua própria cidade”, disse, sublinhando que é urgente eliminar barreiras e criar percursos acessíveis e humanizados.

A candidata social-democrata falava durante a iniciativa “Encontros com a Cidade”, que juntou dezenas de pessoas na Praça Colombo, para ouvir a especialista em mobilidade, Paula Teles, e o jornalista Marcos Mota, portador de deficiência motora.

“Não é possível ter uma cidade acessível com medidas avulsas, daí a necessidade de implementar um Plano de Mobilidade, onde quero criar uma marca de cidade acessível para todas as idades e que inclua todas as pessoas” afirmou, lembrando que nesta estratégia de acessibilidades os estacionamentos assumem um papel fulcral.

“Por isso, uma das medidas é tornar o Funchal uma Cidade Inteligente, onde, por exemplo, se possa pagar o parcómetro e saber em tempo real a disponibilidade de espaços através de um telemóvel.”

No Plano de Mobilidade que Rubina Leal quer para a cidade, os transportes públicos assumem um papel fundamental. Sempre na ótica de quem os utiliza. “A Câmara tem neste momento, a grande oportunidade para através de um contrato interadministrativo transferir a relação do sistema de transporte para a Autarquia, negociando contrapartidas que revertam para todos os que utilizam os transportes públicos”, notou, dizendo que é preciso estimular a utilização dos transportes públicos.