Carlos Rodrigues assume o risco da deselegância na Assembleia e pede o fim do Representante da República

Fotos Rui Marote.

Numa sessão solene do Dia da Região, perante as diferentes entidades institucionais, o deputado do PSD correu conscientemente o risco de ser deselegante e falou diretamente para o representante da República para a Madeira dizendo que este cargo já não se justifica e que é vontade do seu partido e da Região a sua extinção.

O tema não é novo. Há muito que o PSD e outros partidos consideram que está em causa não a pessoa de Ireneu Barreto nem dos representantes anteriores mas do cargo em si, que é um resquício de centralismo que não se justifica num quadro de autonomia regional. No seu estilo truculento e abrasivo, Carlos Rodrigues aproveitou a sessão solene para lembrar que o Representante da República está a mais no stablishment da autonomia regional.

Ireneu Barreto ouviu em silêncio, convidado que é na cerimónia que decorre no Parlamento.