Projeto com investigador do M-ITI financiado pela Academia de Ciências dos EUA

Nuno nunes

Um projeto envolvendo um professor e investigador do M-ITI e Técnico-U. Lisboa foi financiado pela Academia de Ciências dos EUA através da iniciativa ‘Keck Futures Deep Blue Sea’.

Este projeto tem por objectivo de tornar acessível, através da Internet, informação em
tempo real dos recifes de profundidade onde a luminosidade é fraca (na zona mesofótica). É liderado pelo Prof. Diego Figueroa da Universidade do Texas e envolve uma equipa
interdisciplinar, a qual inclui o artista conceptual americano Mark Dion e o Prof. Nuno Nunes do M-ITI, Técnico – U. Lisboa.

O projeto utiliza sensores e câmeras interativas em profundidade que permitem o acesso a imagens e parâmetros ambientais destes recifes, ainda pouco estudados, e situados a partir dos 50 metros de profundidade.

O financiamento de USD100,000 servirá para testar as tecnologias necessárias à implementação de um primeiro protótipo a 100m de profundidade no Golfo do México.

Este será composto por uma boia de comunicações (com painel solar e satélite) e um sistema
com sensores e uma câmera de alta definição colocados a cerca de 100m de profundidade, que podem ser controlados remotamente pela Internet.

O público alvo desta instalação serão as comunidades educativas, como museus, escolas e centros comunitários.

O objectivo final é dar a conhecer estes ecossistemas particulares e pouco conhecidos através das modernas tecnologias interativas.

A iniciativa Keck Futures é promovida pela Academia de Ciências dos EUA e pretende reunir
cientistas de várias disciplinas com designers e artistas para explorar problemas relevantes.

Este projeto, agora financiado, resultou da conferência Discovering the Deep Blue Sea, em Novembro de 2016, na qual o Prof. Nuno Nunes integrou como convidado, onde mais de 100
investigadores e artistas se encontraram em Irvine, Califórnia, para discutir novas formas de
explorar e melhorar o conhecimento do Oceano profundo.

Passados apenas alguns meses os primeiros projetos foram financiados num total de 1,55 milhões de USD.