Sofia Canha apresentou candidatura à Câmara Municipal da Calheta

Sofia Canha apresentou a sua candidatura à Câmara Municipal da Calheta, ontem à noite, na sua terra-natal, o Jardim do Mar, numa acção que contou com a presença de Carlos Pereira, presidente do PS-Madeira, de Elza Pais, deputada na Assembleia da República e presidente do Departamento Nacional das Mulheres Socialistas, de deputados do PS na ALRAM, da direcção do partido, bem como com a presença de militantes e simpatizantes do PS-Madeira.

Sofia Canha assume que, por ora, o seu objectivo para as próximas eleições autárquicas é fazer crescer o partido socialista no Concelho, robustecendo a visão de esquerda, tipicamente mais solidária, menos conservadora, mais progressista. Num concelho em que toda a esquerda tem pouca expressão, a candidata socialista garante que a pluralidade política trará outra dinâmica àquele concelho, refere uma nota de imprensa.

A centralidade da sua acção política, afirma, será o trabalho e o emprego, proporcionando condições para a fixação dos jovens e o crescimento económico, baseado no turismo sustentável e sustentado. A candidata recordou, a propósito, a promessa do PSD, aquando das eleições em 2013, de criação de um Gabinete de Apoio ao Empresário, que nunca se veio a concretizar. A população mais jovem terá um lugar prioritário, na medida em que têm de ser criadas facilidades para o investimento local e para a fixação dos mais jovens, afirmou.

Pretende-se ainda potenciar todas as características únicas de cada freguesia do concelho, de modo a aumentar o conforto de quem reside e proporcionar experiências memoráveis a quem visita.

Sofia Canha garante que caso seja eleita não esquecerá as políticas sociais, um eixo de suporte a quem é menos beneficiado e está mais dependente, nomeadamente, portadores de deficiência, idosos com graus de dependência grande, não esquecendo os cuidadores informais, normalmente mulheres, que se vêem privadas da sua autonomia financeira e coartadas da opção de ter um percurso profissional.

As questões de mobilidade são também de extrema preocupação para a candidata do PS, refere o comunicado. A mesma defende maior monitorização do desenvolvimento local, sobretudo nas freguesias da Ponta do Pargo, Fajã da Ovelha, Prazeres, “que parecem ter sido esquecidas pelo Governo Regional”. Sofia Canha não desiste da execução da Via-Expresso nessas localidades, sendo certo que a sua luta será mantida, na Assembleia Legislativa da Madeira, até à conclusão dessa obra. Por seu turno, vincou também a degradação de muitas estradas do concelho, assim como criticou o facto das escarpas do Jardim do Mar, bem como na vila da Calheta ainda não terem recebido a devida intervenção. “Parece que estão à espera que uma desgraça aconteça, para então fazerem alguma coisa”, observou.

Em ano de eleições, o PSD falou em recuperar os Centros de Saúde da Calheta, bem como do Arco da Calheta, “mas será que é preciso chegar às vésperas de eleições para a população ver as obras a se iniciarem”, questionou ainda. “A população calhetense merece mais respeito, mais atenção, sobretudo, quando falamos em questões de Saúde, sendo por isso urgente uma rápida intervenção quer nesta matéria, quer também no que diz respeito à criação de um apoio à medicação para a população mais envelhecida. Centros Sociais, festas e passeios, por si só já não chegam. Os calhetenses merecem muito mais”.