Pedro Ramos lamenta “falta de diálogo” que causou greve dos médicos

O secretário regional da Saúde, Pedro Ramos, comentou a greve dos médicos referindo que, como governante, lamenta a situação. “Penso que não houve suficiente tempo de trabalho entre o ministério da Saúde, a Ordem dos Médicos e os Sindicatos”, disse. A greve, no caso da Saúde, “só deve ser usada em última instância”, considerou.

“Esperemos que possamos entrar numa nova curva de diálogo que permita atingir pontos de colaboração e de consenso (…)”, disse esperar. A missão dos profissionais de saúde, médicos, enfermeiros e outros, tem de facto a ver com a segurança das populações, pelo que estes precisam de melhores condições de trabalho, reconheceu.

Houve consultas, reconheceu, que foram adiadas e cirurgias canceladas, mas que, no futuro, “voltarão a sobrecarregar os profissionais de saúde”. Assegurou, no entanto, que os serviços mínimos foram garantidos.