Rota do Açucar enche marginal da Calheta para cortejo etnográfico da cana sacarina

Fotos FN.

Nesta tarde de domingo, a cultura popular desceu à rua. Na marginal da Calheta, junto ao Hotel Savoy Calheta Beach, a população foi convidada a revisitar o mundo da cana sacarina com a realização do cortejo alegórico a uma atividade emblemática da história madeirense, promovida pela Câmara Municipal local.

Centenas de turistas e madeirenses relembraram os antigos instrumentos que caracterizaram os engenhos madeirenses. Com um clima a favor dos participantes, debaixo de sol escaldante, eis que o folclore se unia à história, com o grupo Gerigonça também a dar o colorido e o som, colocando em grande destaque o nome da Madeira e Calheta. “Da encosta à montanha/da montanha até ao mar/és a beleza tamanha/Calheta sempre a brilhar”, eis as trovas que foram trauteadas pela Gerigonça, com o desfile de alguns dos seus participantes na Festa da Flor de 2017.

Um encontro de culturas díspares mas que, pedaço a pedaço, foram construindo a história de uma gente que tem lutado arduamente pelo desenvolvimento da Madeira.

O evento insere-se no âmbito de uma iniciativa da Câmara da Calheta designada “Rota do Açucar” com o objetivo de promover a cana sacarina, cultura característica da Calheta.

Do programa fizeram, que hoje encerra, fizeram parte tertúlias, conferências e a atuação do artista Tiago Bettencourt.