Ministra da Administração Interna insatisfeita com a resposta dos parceiros europeus

/LC/

MInistra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa Foto José Coelho LUSA
Foto: José Coelho/LUSA

Com LUSA

A ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, mostrou-se hoje insatisfeita com a resposta dos parceiros europeus.

A ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, mostrou-se hoje insatisfeita com a resposta dos parceiros europeus ao pedido de ajuda de Portugal civil para fazer face aos muitos incêndios que lavram no país. “Estava à espera de uma maior solidariedade dos parceiros europeus”, afirmou a ministra, sublinhando que Marrocos, apesar de não pertencer à União Europeia, respondeu prontamente ao pedido de auxílio.

A governante falava em Arouca, um concelho do distrito de Aveiro que desde sábado tem sido fustigado pelas chamas. “Ontem [quarta-feira] à noite, às 19:30, falei com o ministro do interior marroquino e hoje de manhã já estavam os dois Canadair marroquinos a operar aqui em Castelo de Paiva”, disse a ministra.

A governante adiantou ainda que estão a operar no distrito de Viana do Castelo dois Canadair espanhóis e espera-se que durante a parte da tarde esteja a operar um Canadair italiano, na sequência do acionamento formal do mecanismo europeu de proteção civil pelo Governo português.

A ministra da Administração Interna anunciou na quarta-feira ter sido acionado o protocolo bilateral estabelecido com a Federação Russa para a vinda de mais meios, sem especificar, porém, quantos são ou quando chegam.

De lembrar que Portugal já acionou sete vezes o mecanismo europeu de proteção civil, a última delas ontem, e sempre para fazer face a incêndios, mas também já participou na ajuda a outros países, como Espanha ou Grécia.

O mecanismo europeu de proteção civil, criado em 2001, é uma bolsa de meios disponibilizados pelos Estados-membros da União Europeia (UE), que permite que outros peçam ajuda em casa de necessidade, por exemplo, incêndios, cheias ou sismos.