Após tragédia, Albuquerque retoma balanços: 3 mortos, 3 hotéis afetados, 950 desalojados provisórios, 37 casas destruídas e dois novos detidos por fogo posto

albi 4
Fotos TV Correio da Manhã.

O presidente do Governo Regional, já ladeado pelo coronel Moura, vice-presidente da Protecção Civil nacional, voltou hoje aos habituais balanços aos incêndios que deixaram o Funchal em polvorosa, sobretudo ontem, para falar de números e anunciar que vai reunir de urgência o governo, pelas 12h00, para “deliberar uma estratégia de reposição rápida da normalidade na Madeira”.

A preocupação do Executivo é, numa ilha turística, passar a imagem da normalidade para evitar ainda mais cancelamentos de passageiros para a Madeira. A situação é preocupante mas não é alarmante, distingue o presidente, para evitar semear o pânico nos madeirenses e turistas. “A Ilha está a funcionar, apesar de ter havido 3 hotéis afetados”.

Com as condições climatéricas a jogarem ainda mais a favor da Madeira durante o dia de hoje, o presidente acredita que se pode pensar “num clima de maior calma”.

albi 4Desde logo, o presidente lamentou os três mortos, na zona de Santa Luzia,  idosos que foram apanhados pelo lume e onde duas casas arderam completamente.

Outra nota introduzida no discurso de Albuquerque  prende-se com o facto de 2 novos indivíduos que foram ontem apanhados, em flagrante delito, a pôr fogo, numa quinta específica da Madeira. Não adiantou mais pormenores, preferindo deixar o caso para as autoridades.

Os meios de combate aos incêndios, enviados por Lisboa e Açores, já chegaram à Madeira. O Coronel Moura coordena esta intervenção, a quem Miguel Albuquerque agradeceu, assim como ao Governo Central e dos Açores.

albi1Ao Correio da Manhã, o coronel Moura disse que já chegaram 40 homens e mulheres que estão a combater o fogo no Transval e outras zonas ativas. Querem fazer “parte da solução”. Outros elementos, perfazendo um total de mais 100 operacionais, incluindo sapadores, técnicos do INEM e bombeiros, estão na Região a prestar uma ajuda que para muitos madeirenses deveria ter sido solicitada mais cedo.

Miguel Albuquerque fez o balanço dos números:

. há 950 realojamentos provisórios distribuídos pelo RG3, Nazaré e Barreiros;

  • 347 pessoas deram entrada nas urgências hospitalares, por intoxicações e queimaduras; destes, 80 permanecem internados;
  • 37 casas foram realmente destruídas mas o presidente não sabe ainda precisar o total, no dia de hoje, porque o levantamento está a decorrer. Há casas que estavam abandonadas, outras que foram parcialmente destruídas e outras mesmo destruídas. Situações a analisar com a ajuda dos presidentes das Juntas de Freguesia para dar prioridade às moradias efetivamente habitadas e destruídas;
  • esta manhã, reacendimentos de fogos no Funchal, no Transval, Boa Nova, S. Pedro e Estrada da Choupana, mas a serem controlados pelos bombeiros;
  • por prevenção, foram evacuados os doentes do Lar de Santa Isabel, das Clínicas de Santa Luzia e Santa Catarina, que estão a regressar gradualmente às respetivas instituições;
  • houve fogos em algumas unidades hoteleiras, tendo o Hotel Choupana Hills sido totalmente destruído; Houve evacuação, também à cautela, dos hóspedes do Hotel do Castanheiro, mas que já regressam hoje à unidade hoteleira.
  • preocupante é o incêndio na Calheta, na zona do Parque Empresarial, Lobos do Atouguia, do Doutor, entre outras áreas, após uma noite de fogo ativo.