Simulacro de incêndio e evacuação na EB1/PE do Campo de Baixo, Porto Santo

simulacro, bombeiros

Realizou-se, na Escola Básica do Primeiro Ciclo com Pré-Escolar do Campo de Baixo, no Porto Santo, um simulacro de incêndio e posterior evacuação geral, numa colaboração entre a Secretaria Regional da Educação, Serviço de Protecção Civil da Câmara Municipal, Polícia de Segurança Pública e Bombeiros Voluntários do Porto Santo.

Às 10h46, foi simultada a detecção de um foco de incêndio na Sala Verde de Pré-Escolar e realizada a comunicação à direcção da escola. Após a avaliação do sucedido, foram postos em prática todos os procedimentos de alerta, alarme e evacuação, contemplados no plano de prevenção e emergência da escola. Após o toque de alarme, a evacuação de todos os ocupantes da escola (alunos, professores e funcionários) decorreu de acordo com o previsto, para o ponto de encontro. No entanto, ficaram retidas numa sala, duas pessoas que ficaram inconscientes. Rapidamente, chegou o auxílio, com a chegada dos Bombeiros Voluntários à escola, que fizeram a avaliação, combate às supostas chamas e procederam ao resgate das pessoas, que posteriormente foram encaminhadas para receber auxílio, em ambulância.

A direcção da escola e o delegado de segurança, bem como o Serviço de Protecção Civil acompanharam o simulacro, bem como foram retirados do local os alunos da Pré-Escolar, para local seguro, em duas carrinhas da Câmara Municipal.

O objectivo do simulacro, de acordo com a organização do mesmo, foi a avaliação da capacidade de resposta e a interacção entre as diversas entidades de socorro e segurança que actuam no concelho, bem como a aferição da operacionalidade dos meios técnicos e humanos e o nível de coordenação das instituições supra mencionadas. Testes deste género têm vindo a ser realizados todos os anos, relativamente a diferentes ocorrências.

De acordo com Élvio Sousa e Filipa Roma, o simulacro geral de incêndio reflete um cenário real de emergência e permitiu detetar os procedimentos, a actuação das instituições e pessoas, bem como avaliar as eventuais correcções ao plano de prevenção e emergência. O exercício serve ainda para que num cenário real se consiga lidar o melhor possível com sentimentos de pânico, evitando que os danos provocados nas instalações sejam agravados com danos ou perdas humanas.

O enfoque na prevenção da segurança de pessoas e bens, bem como sobre o papel de cada professor, aluno e funcionário nesse processo e a operacionalidade dos meios de resposta a ocorrências dessa natureza é o objectivo primordial do simulacro e do Plano de Prevenção e Emergência.