Paulino Ascensão desmascara “esquema” de Passos e Albuquerque

O cabeça de lista pelo Bloco de Esquerda às eleições legislativas nacionais procurou hoje “desmascarar” aquilo que considerou ter sido “um esquema” de Passos Coelho para atingir Jardim e, consequentemente, todo o povo da Madeira.

paulinooooos
O candidato do BE aponta o dedo a Passos e lembra que este confundiu uma zanga pessoal com os interesses dos madeirenses.

Paulino Ascensão, perante a vinda de Passos Coelho à Região para participar na festa do Chão da Lagoa, a segunda em dois meses, fez questão de criticar duramente aquela que foi a atitude do líder nacional que colocou as questões pessoais à frente dos interesses da população da Madeira: “Depois de ter votado a Madeira, durante anos, ao desprezo, vem agora pedir o voto dos madeirenses. Para ele, a Madeira era Jardim e, estando zangado com este, quem sofreu as consequências foram os madeirenses com os inesquecíveis aumentos de impostos, corte de subsídios e adiamento de soluções para a Madeira como foi o transporte aéreo”.

Face ao que é óbvio, salientou Paulino Ascensão, “para estes dois cavalheiros, o mais importante são as suas carreiras políticas; primeiro, Passos Coelho desprezou a Madeira e vem agora dizer que resolve tudo, depois de ter destruído mais de 600 mil empregos no país e pedido a outros tantos jovens para emigrar”.

Por outro lado, o candidato bloquista fez questão de salientar que “Passos Coelho falhou no seu mandato em todas as promessas feitas”. O combate à dívida, razão apontada para todos os sacrifícios impostos aos portugueses, até aumentou e, a esse problema, acrescentou outros como a pobreza e o desemprego”. Por tudo isso, “o BE é a força que se propõe resolver os problemas das pessoas e do País”.