Sampaio da Nóvoa avista-se com governantes, autarcas, sindicalistas e empresários no Funchal

wpid-fotografia-1.jpg

O Ateneu serviu hoje, no Funchal, de palco à apresentação do programa da visita do candidato presidencial Sampaio da Nóvoa ao arquipélago da Madeira, a qual se realiza nos dias 28 e 29 de Julho.

Conforme deu a conhecer o coordenador da candidatura na Madeira, Francisco Faria Paulino, serão dois dias bem preenchidos com contactos com numerosas entidades, governativas, autárquicas, académicas, sindicais, patronais, etc.

Sampaio da Nóvoa começa por visitar, logo às 9h15 de terça-feira, a Santa Casa da Misericórdia de Machico, após o que reunirá com Ricardo Franco, o presidente da Câmara Municipal daquela localidade. A meio da manhã encontra-se com o edil santacruzense, Filipe Sousa, após o que seguirá para o Funchal para se avistar com o Representante da República para a Madeira, Ireneu Barreto.

Meia hora passada sobre o meio-dia, reunirá com o presidente do Município de Câmara de Lobos, Pedro Coelho, para depois participar num almoço volante num restaurante daquele local. Às 14h15 visitará o Museu de Imprensa, um dos ex-libris da edilidade, onde se encontrará com a comunicação social, das 15h às 15h40.

Seguidamente, parte de avião para o Porto Santo, onde reunirá com o presidente da Câmara, Filipe Menezes de Oliveira, seguindo-se um jantar com apoiantes, no centro da Vila Baleira. Depois do repasto, pretende passear pelas imediações, estabelecendo contactos com a população e veraneantes.

Já no dia 29 de Julho, quarta-feira, Sampaio da Nóvoa regressa cedo pela manhã ao Funchal, parando pelas 9 horas no café do Teatro Municipal. Às 10 horas fará uma visita protocolar ao presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, reunindo, pelas 11 horas, com a União de Sindicatos da Madeira, e depois com a UGT.

Entre as 13 e as 14h30 almoçará com apoiantes no café Apolo. Às 15 h, reunirá com representantes da ACIF.

Às 16 horas visita a igreja do Colégio, e às 17h45 será recebido pelo presidente da Câmara Municipal do Funchal, Paulo Cafôfo.

Já a terminar o dia, às 18 horas reunirá com o reitor da Universidade da Madeira, fazendo, uma hora depois, uma comunicação na Sala de Actos da Reitoria, que será  precedida da actuação da Orquestra de Ponteado.

No período das 19h30 às 21 horas, estará presente num encontro com apoiantes com um Madeira de Honra no Pátio das Artes da Reitoria da UMa, à Rua dos Ferreiros. Ao final da noite regressará a Lisboa.

Francisco Faria Paulino sublinhou que uma das grandes linhas de actuação de Sampaio da Nóvoa, e à qual o mesmo dá grande importância, está representada nesta sua visita à universidade insular.

Também enfatizou que, na Madeira, são muitos os que se revêem nesta candidatura às eleições presidenciais, e que estão dispostos a contribuir para a mesma com trabalho voluntário.

Para Faria Paulino, esta é uma candidatura diferente, porque Sampaio da Nóvoa “é uma pessoa que não vem dos partidos, que tem uma vida cívica, política e cultural permanente, desde a juventude”.

As suas ideias, frisou não são palavras ocas: “São caucionadas pela sua própria vida, uma vida de frugalidade, de rigor, de empenho e de preocupação pelas realidades claras de um futuro difícil que o país e o mundo vão ter. Nós estamos a atravessar momentos muito dramáticos da vida da humanidade, só não vê quem não quer, e precisamos de gente que seja capaz de ter compaixão… de ter paixão e capacidade de perceber os problemas como eles se colocam às pessoas”. Para o coordenador da candidatura na Madeira, Sampaio da Nóvoa traz “esta frescura (…) procurando ser um sopro de ar fresco num ambiente que está pesado”.

Para este responsável, dão vontade de rir as críticas a Sampaio da Nóvoa por inexperiência política, pois ele tem “uma capacidade política enorme, que é essencialmente a capacidade de obter consensos, de ter ideias claras, saber defendê-las e agregar as pessoas à sua volta”.

“Não é condição sine qua non para ser político, ter uma vida partidária”, declarou.

Confrontado com a circunstância de uma outra anterior candidatura de cidadania, a de Fernando Nobre, não ter surtido o efeito desejado, Faria Paulino considerou que o mundo mudou muito, sendo também as personagens diferentes, “com todo o respeito que tenho pelo dr. Fernando Nobre”.

Na sua carta de princípios, apresentada no Porto a 25 de Maio último, o professor Sampaio da Nóvoa promete bater-se “pelo pluralismo, pela diversidade, pela discussão aberta dos problemas nacionais”, lutando contra “o amorfismo, a indiferença, a resignação, a passividade, o conformismo e o pensamento único”.