PSD assegura na Calheta que “ninguém quer mudar para pior”

Ontem, no Comício da coligação “Somos Madeira” na freguesia dos Canhas, concelho da Ponta do Sol, Miguel Albuquerque declarou que “ninguém quer mudar para pior”, pelo que “temos é de continuar este caminho, o caminho do progresso, do crescimento económico, do emprego, da redução de impostos, da construção de instituições de apoio e de solidariedade social aos que mais precisam e de um Serviço de Saúde de excelência”.

Declarações proferidas perante a população da Calheta, pelo presidente do PSD/Madeira e candidato principal pela coligação “Somos Madeira, que aproveitou para anunciar que o seu Governo irá iniciar estudos para melhorar as acessibilidades a este e aos restantes concelhos da zona oeste.

“A Calheta está a crescer em turismo, em alojamento local, nos investimentos imobiliários, nos residentes estrangeiros de alto rendimento e é nesse sentido que teremos de encontrar uma solução para a duplicação da plataforma rodoviária”, disse.

A Calheta passou por uma “transformação maravilhosa” graças ao Governo Regional, afirmou. São muitas “as provas dadas” pelo seu Governo – um Governo, asseverou, “que sabe o que quer, para onde vai, os fins que deve atingir e quer continuar a governar para bem da Calheta e da Região”.

Citou, a propósito, investimentos concretizados “a favor da população”, como a via de ligação da Fajã da Ovelha à Ponta do Pargo, o arranque do novo Campo de Golfe da Ponta do Pargo, as acessibilidades a favor das populações do Paul e do Jardim do Mar e a recuperação dos Centros de Saúde do Arco da Calheta e da Calheta (Hospital) “que toda a gente diziam que não iam ser recuperados”.

Refutou, portanto, as críticas do PS/M ao turismo e ao alojamento local, afirmando que o problema da habitação não se resolve acabando com este sector mas, sim, fazendo o que o seu Governo já está a fazer em todos os concelhos e, também, na Calheta, construindo novas casas para que sejam acedidas pelos casais mais jovens.

“(…) a maneira de fazer as coisas é trabalhar e concretizar, não é paleio, que paleio não dá de comer a ninguém, sentenciou.

Por seu turno, Rui Barreto, afirmou, esta noite, na Calheta, que a 24 de setembro só existe uma escolha e que a pessoa mais bem preparada para lidar com o futuro e para enfrentar um mundo em guerra, em instabilidade e em crescente convulsão, é, sem dúvida, Miguel Albuquerque.

Já os socialistas madeirenses “nunca levantaram a voz para defender os direitos e interesses” dos locaiss, pelo que “não merecem o voto”.

O presidente da Concelhia do PSD e candidato Carlos Teles, a quem coube a primeira intervenção da noite,  deixou claro que faz parte de uma equipa “que sempre trabalhou pelas pessoas e pelo concelho da Calheta”, numa postura bem diferente daqueles candidatos que têm de “ligar o GPS para chegar ao concelho”.