Albuquerque visita amanhã “Fresh Contemps-Artes Visuais”

 

O presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, visita amanhã, a Fresh Contemps – Artes Visuais 2023, que decorre na Torre do Capitão, em Santo Amaro, segundo uma informação da Quinta Vigia.

Criada em 2022, a partir de uma parceria entre a Secretaria Regional de Turismo e Cultura e o artista visual Rodrigo Costa, “FRESH CONTEMPS” pretendia tornar-se numa marca regional que apoia jovens artistas das mais diversas áreas criativas (Artes Visuais, Música, Escrita, Multimédia, Teatro, etc.), através de eventos que convidam à produção de novos trabalhos e atividades públicas sob um tema previamente escolhido, refere-se-

“Seguindo o sucesso da primeira edição, surge agora uma segunda, focada novamente nas Artes Visuais e que, mais uma vez, dará palco a um grupo de seis jovens artistas, dos 19 aos 23 anos, com e em formação, que trabalham em solo regional”, diz a nota do GR.

“FRESH CONTEMPS – Artes Visuais 2023, de novo sob a curadoria e produção de Rodrigo Costa, recebe, então, Helena Faria, Inês Rodrigues, Miguel Abreu, Natureza, Thomaz Moreira e Vanessa Câmara, que voltam a ocupar, em regime de residência artística, o Núcleo Histórico de Santo Amaro – Torre do Capitão”.

Esta nova edição de FRESH CONTEMPS – Artes Visuais tem como objectivos-base continuar a apoiar e desenvolver as práticas de artistas que vivem e trabalham em solo regional e prosseguir a promoção de uma arte inclusiva, comunitária, não-elitista e de livre e fácil acesso, refere o Governo.

À semelhança do ano passado, o projecto de residência tentará novamente dinamizar da forma mais positiva possível o Núcleo Histórico de Santo Amaro – Torre do Capitão e contactar com os visitantes e a comunidade circundante. Os artistas terão sempre em vista promover um espaço visitável e interactivo para todos os que se cruzarem com esta iniciativa, de modo a incentivar a participação e a aproximação de qualquer interessado à Arte.

FRESH CONTEMPS – Artes Visuais é também, mais uma vez, uma aposta nos jovens artistas/criativos regionais, que precisam de espaço para explorar e exprimir as suas ideias, desprovidos de preconceito e censura; um apoio fulcral para artistas emergentes que ainda estão a tentar encontrar a sua forma de pensar e a consolidar a sua prática artística. A ligação com o público e a troca de experiências é algo de extrema importância para incentivar a criação artística fora da “bolha hermética” a que a maioria dos artistas acaba por se remeter ao longo da carreira.

“Em 2023, acresce ainda a responsabilidade de compreensão, valorização e estudo da atitude e trabalho de uma das mais conhecidas figuras madeirenses no mundo da Arte, a artista Lourdes Castro. Através da dissecação (e não cópia) desta obra, este projecto cria indiretcamente um diálogo intergeracional muito relevante para a discussão do que consideramos ser um “artista” e arte “contemporânea” (dois temas basilares deste projecto)”.

Os artistas irão ocupar o Núcleo Histórico de Santo Amaro – Torre do Capitão entre 31 de julho e 2 de Setembro.