Perante greves, Rui Barreto quer garantias de abastecimento marítimo

 

Na sequência dos pré-avisos de greves do Sindicato Nacional dos Trabalhadores das Administrações Portuárias, para os dias 22, 23, 27 e 29 de Dezembro e para os dias 2, 6, 9, 13, 16, 20, 23 e 27 de Janeiro de 2023, o secretário regional da Economia, Rui Barreto, enviou, esta sexta-feira, um ofício para o gabinete do ministro das Infraestruturas e Habitação, para que o abastecimento por via marítima à Região não seja comprometido, refere uma nota do seu gabinete.

No ofício enviado para Pedro Nuno Santos, Rui Barreto pede que o fornecimento semanal da RAM seja fixado entre os serviços mínimos, por forma a não prejudicar as famílias e as empresas madeirenses e porto-santenses, que estão dependentes, praticamente em exclusivo, do abastecimento de mercadorias por via marítima.

Rui Barreto recorda que para a Região, “que depende do abastecimento de mercadorias por via marítima, torna-se crucial que se assegure, e de acordo com o que tem vindo a acontecer, que no processo de fixação dos serviços mínimos, sejam tomadas medidas excecionais de salvaguarda do abastecimento da Região”.

Entre as medidas, Rui Barreto sublinha ser fundamental garantir todos os meios para a operação de todos os navios de abastecimento à Região, bem como a saída de navios, quando esteja em causa a disponibilidade de cais para navios de ou para a Região, a exemplo do que tem ficado acordado nos serviços mínimos em situações de greves anteriores.