Baixar os impostos: “Uma promessa que vos deixo”, diz Sérgio Gonçalves

Como é bem sabido, todos os políticos cedem à tentação das promessas, e uma das mais recentes foi a de Sérgio Gonçalves, líder do PS-M: quando os socialistas forem governo na RAM, os impostos irão baixar, assegurou.

O dirigente falava no início da II Convenção dos Estados Gerais, subordinada ao tema do ‘Emprego e Rendimentos’, e que contou com as opiniões de especialistas nacionais e regionais, entre os quais o economista e ex-ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, José Vieira da Silva.

Sérgio Gonçalves disse que a baixa dos impostos ” uma promessa que vos deixo”. O socialista tem insistentemente defendido a redução nas taxas do IVA e em todos os escalões de IRS, para baixar o preço dos bens e serviços e devolver rendimentos aos madeirenses.

Apontou alguns dos exemplos das prioridades do PS, quer ao nível nacional, quer regional, nomeadamente “aumentar o salário mínimo até aos 900 euros até 2026, medida que deve ser acompanhada também do aumento dos salários médios”.

Abordando o anúncio do Governo Regional de que, no próximo orçamento regional, 86% das famílias estarão abrangidas pela redução total do IRS, disse que “isto é revelador de baixos rendimentos e do falhanço desta governação”, pois “se temos nove escalões de IRS e quase 90% dos madeirenses estão nos quatro escalões mais baixos, isso é a prova de que não há oportunidades e que não estamos perante emprego qualificado e bem remunerado”.

Referiu ainda o facto de os madeirenses terem o mais baixo poder de compra do país, situação que se torna ainda mais preocupante nesta fase em que a inflação atinge os valores mais altos dos últimos 30 anos e em que as taxas de juro “estão a disparar para níveis proibitivos e vão criar grandes problemas, sobretudo ao nível da habitação, que é outra das grandes carências existentes”. Isto na região com a mais elevada taxa de risco de pobreza e exclusão social.