Rui Barreto reiterou efectividade da linha de crédito INVEST-RAM

A Comissão Parlamentar de Inquérito reuniu, esta tarde, para a audição parlamentar sobre “As falhas na operacionalização da linha de crédito às empresas da Região Autónoma da Madeira afectadas pelo surto de novo coronavírus, designada Linha de crédito INVEST-RAM” com o secretário regional da Economia, Rui Barreto.

Rui Barreto reiterou que a linha foi disponibilizada imediatamente após o surgimento dos primeiros casos da doença na Região, para salvaguardar o pagamento de salários dos funcionários das empresas e os rendimentos das famílias, tendo em vista que as empresas teriam grandes dificuldades no momento em aceder a um crédito bancário. “Em cerca de 3 mil candidaturas à linha de crédito INVEST-RAM, 94%, foram para micro e pequenas empresas da RAM”, afirmou.

O governante com a pasta da Economia recordou, ainda, que “para além dos critérios de redução nas facturações acima dos 40% e 15% para as empresas da Madeira e do Porto Santo, respectivamente, foi introduzida a necessidade de serem mantidos os postos de trabalho. A linha esteve sempre disponível para todas as empresas, em várias fases de candidatura.”

Rui Barreto afirmou, também, que “do valor de 100 milhões de euros disponibilizados pela linha INVEST-RAM, foram efectuados pagamentos na ordem dos 43 milhões de euros.”

Todas as Instituições de crédito da Região Autónoma da Madeira aderiram à linha de crédito. No entanto a que celebrou mais contratos terá sido o Banco Santander Totta.