Rita Andrade desafia os alunos do “Liceu” à Cidadania Ativa e à liderança dos processos para além do computador

Rita Andrade desafiou os alunos do “Liceu” a procurarem sempre “soluções para os problemas”, com uma atitude aberta e usando a inteligência emocional. Fotos DR (SRISC).

A Secretária Regional da Inclusão Social e Cidadania deixou hoje o seu gabinete de governante para dar uma aula informal aos estudantes do “Liceu” sobre o tema estruturante de saber “Educar para a Cidadania Ativa” e o subtema “Inclusão Social”.

O encontro com os jovens do 12.º ano de escolaridade, da turma 1, do Curso de Ciências e Tecnologias, contou com a participação ativa dos alunos que, no âmbito da disciplina de português e da Cidadania e Desenvolvimento, apresentaram a oradora, recitaram um poema criado especificamente para a sessão e, após a palestra e debate, entoaram uma canção, com a colaboração interdisciplinar do docente Marco Ribeiro, que acompanhou os estudantes à guitarra.

Marco Ribeiro, à guitarra, e os alunos, a recitarem poesia e a entoarem uma composição (dos D.A.M.A) para encerrar a palestra com Rita Andrade.

 

Rita Andrade, na “Luís Miguel de Sousa Classroom” (sala de ambientes inovadores de aprendizagem da ESJM) traçou o contexto atual que caracteriza o século XXI, marcado pelas questões emergentes deste tempo, nomeadamente da competitividade (80% dos jovens prosseguem estudos), do mundo global, da igualdade de oportunidades e do desenvolvimento tecnológico. Um diagnóstico com uma certeza que aguça a reflexão dos alunos: “Os vossos próximos 5 anos vão determinar os próximos 50 anos”. Por isso, desafiou os jovens a saberem liderar os processos, a uma participação ativa e a saber usar as novas tecnologias, sem se esconder atrás de um computador.

O momento do debate com os alunos a questionarem Rita Andrade.

Com diapositivos muito aliciantes, a Secretária Regional elencou os fatores mais valorizados na conduta social e interpessoal, desde o nível de educação/formação, o saber estar, saber fazer, saber ser, a seriedade e humildade, a lealdade, a atitude-motivação, a criatividade, a diferença pela positiva e o foco”. Uma palavra de destaque da governante para a importância das chamadas “soft skills“, assim como uma atenção mais prolongada à “atitude”, no sentido de prevalecer nos jovens o bom senso, a empatia, o trabalho em equipa, a resiliência e a proatividade.

A mensagem final passada aos cidadãos do futuro, que são os jovens de hoje da ESJM, foi feita pela positiva, já que “tudo tem uma solução”, salientou Rita Andrade. “Sejam problems solvers e não problems makers“. Um encontro que encerrou com um vídeo pertinente, escolhido pela governante, sobre a abertura de espírito e empatia para com o outro e as boas práticas em comunidade.

https://we.tl/t-VuT7hTZ9mN