CDU acusa GR de esconder atraso nas obras do bloco operatório do Hospital

A CDU esteve este sábado junto ao Hospital Dr. Nélio Mendonça, com o fito de denunciar o atraso nas obras de reabilitação do Bloco Operatório e “a tentativa do Governo Regional esconder tal realidade prejudicando assim a população  e favorecendo o negócio da doença”.

O deputado comunista Ricardo Lume disse que “o Conselho de Governo, de 25 de Novembro de 2021, autorizou a realização da despesa inerente às obras de reabilitação do Bloco Operatório do Hospital Dr. Nélio Mendonça, conforme a Portaria nº 720/2021, de 25 de Novembro, sobre encargos orçamentais previstos para o “Hospital Dr. Nélio Mendonça – Reabilitação do Bloco Operatório, processo nº 55/2021”, no valor de 2.300.000,00 euros”.

O procedimento de contratação pública para a obra de reabilitação do Bloco Operatório do Hospital Dr. Nélio Mendonça foi lançado a 21 de Dezembro de 2021, enunciou.

Ora, o Governo Regional “decidiu  que a partir do dia 03 de Dezembro de 2021 o Bloco Operatório do Hospital Dr. Nélio Mendonça seria encerrado e as cirurgias passariam a ser realizadas nas instalações de unidades de saúde privadas e que o seu aluguer custaria 26 mil euros por semana”.

O Conselho do Governo, reunido em plenário em 17 de Março de 2022, através da Resolução n.º 138/2022 adjudicou  mediante concurso público a obra  «HOSPITAL DR. NÉLIO MENDONÇA – REABILITAÇÃO DO BLOCO OPERATÓRIO»,) à TECNOVIA – MADEIRA, SOCIEDADE DE EMPREITADAS, S.A, pelo preço contratual de € 2.275.725,00 (dois milhões, duzentos e setenta e cinco mil, setecentos e vinte e cinco euros) e prazo de execução de 180 dias.

Segundo a Resolução do Governo a obra de reabilitação do Bloco Operatório deveria ter terminado no final de Setembro, situação que não veio a acontecer, denunciou Ricardo Lume.

No passado dia 1 de Setembro, o secretário regional da Saúde e Protecção Civil afirmou que as obras  de reabilitação do Bloco Operatório estavam a decorrer sem qualquer contratempo e devem estar concluídas no final de Novembro.

“Se de facto as obras estivessem a decorrer sem qualquer contratempo seria expectável que de acordo com a resolução nº138/2022 a obra estivesse terminada no final de Setembro e não só no final de Novembro, dois meses depois do estipulado na resolução do Governo, ou será que o atraso é uma opção do promotor da obra?”, interroga-se a CDU.

“Numa região onde estão em lista de espera mais de 19 mil cirurgias por realizar é lamentável este atraso na conclusão das obras do Bloco Operatório do Hospital Dr. Nélio Mendonça”, aponta o partido.

“Enquanto o Bloco operatório não volta a funcionar continuamos a  pagar 26 000 euros por semana para alugar no privado instalações para a realização de cirurgias, o que significa que no final da obra só em aluguer de instalações vamos pagar mais de 1.300.000.000 euros, mais de metade do valor total da obra”, sublinha.

“Mais uma vez o Governo Regional está a promover o negócio da doença em vez de dar resposta às necessidades de saúde dos madeirenses e porto-santenses”, queixa-se a CDU.