Albuquerque anuncia em S. Vicente conclusão da via expresso a norte

Hoje, na sessão solene do Dia do Concelho de São Vicente, que comemora 278 anos, o presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, referiu como prioridade do Governo a conclusão das obras de recuperação dos danos causados pela intempérie do 25 de Dezembro de 2020, que assolou sobretudo as freguesias da Ponta Delgada e da Boaventura. Uma recuperação onde o Executivo já gastou, somente ao nível viário, mais de 14 milhões de euros, disse.
Miguel Albuquerque referiu que o investimento público é para continuar naquele concelho, e que será uma realidade o término da via expresso a norte, com a ligação via expresso entre a Boaventura e o Arco de São Jorge. O projecto inicial está a ser revisto e em breve será lançado a concurso.
O chefe do executivo falava na sessão solene evocativa dos 278 anos do concelho de São Vicente, quando anunciou que – conforme solicitado pelo presidente da Câmara Municipal de São Vicente, José António Garcês, momentos antes, nesta mesma sessão – haverá uma nova ligação directa entre o parque empresarial das Ginjas e a via expresso, no sítio do Rosário. Um novo parque escolar faz também parte dos planos do Governo Regional.
O governante confirmou ainda a construção da estrada das Ginjas, defendendo que deixá-la como está, inacabada, é que é um perigo e um desastre ambiental. Miguel Albuquerque lamenta o que dizem os detratores da mesma, bem como os que se opõem à requalificação da frente-mar da vila de São Vicente. Afirma que a maioria dos que criticam os dois investimentos não estão preocupados com o Ambiente mas simplesmente em contestar, por razões políticas, as decisões do Governo Regional e da Câmara Municipal de São Vicente.
No seu discurso, o presidente do Governo Regional recordou vários dos investimentos realizado no concelho, como a conclusão da via expresso entre São Vicente e a Boaventura (“que também teve muitos detratores, que deveriam agora bater com a mão no peito e assumir as suas culpas, já que a mesma, para além das vantagens para a população local impediu uma desgraça muito maior no 25 de Dezembro de 2020 e facilitou imenso o socorro às populações”, disse). Mencionou ainda a Escola Agrícola, a recuperação da estrada regional entre a Boaventura e o Arco de São Jorge e o alargamento do túnel Duarte Pacheco.
Dirigindo-se aos presentes, o governante colocou ainda a tónica da sua intervenção na recuperação da maior crise sanitária atravessada pela Região, uma crise também social e económica. Uma recuperação que, enfatiza, foi resultado do esforço e empenho de todos.
«O trabalho que fizemos foi extraordinário. Em quase todos sectores os indicadores são hoje já superiores aos de 2019. E associado a este crescimento, temos vindo a descer, todos os meses, o número de desempregados.
“Em Junho, tivemos descida homóloga de mais de 44% no desemprego registado”, frisou.
Apesar desta retoma na Madeira, Miguel Albuquerque alertou para os perigos da guerra na Ucrânia e dos seus efeitos na Europa, que vêm causando a estagnação económica em grande parte dos países europeus.
“O desafio que temos, neste momento, é o de como é que poderemos continuar a crescer na Madeira, face a esta crise na Europa. O segredo para nos mantermos neste ritmo passa por mantermos a aposta nesta política de confiança, estabilidade, investimento público e investimento privado”, disse.