Postais da Cidade do Funchal em vésperas de aniversário: o Mercado dos Lavradores

Mercado dos Lavradores, posterior a 1940 (Foto Figueiras, em depósito no Arquivo Regional e Biblioteca Pública da Madeira (ABM), cota atual: cx. 2, n.º 12)

O Mercado dos Lavradores, localizado na freguesia de Santa Maria Maior, é um espaço único. Foi inaugurado em 1940, no ano em que a cidade do Funchal assinalava o seu 432.º aniversário. Hoje, à beira de se comemorar mais um aniversário da cidade do Funchal, o FN foi aos arquivos, porque se impõe a memória deste espaço emblemático da capital da Madeira.

O projeto para a construção do mercado foi concebido por Edmundo Tavares (1892-1983). É um edifício que apresenta painéis de azulejos da Faiança Batisttini de Maria de Portugal, datados de 1940, e pintados por João Rodrigues, com temáticas alusivas à ilha.

Pátio central do Mercado dos Lavradores, 1940 (Foto Figueiras, em depósito no ABM, cota atual: cx. 21, n.º 10)

A este espaço recorrem, desde a sua abertura, vários agricultores e comerciantes, oriundos de toda a ilha. Legumes, frutas, flores, peixes e artesanato são motivos que atraem muitos madeirenses e turistas.

Vendedores de frutas e legumes no Mercado do Lavradores, em 1940 (Foto Figueiras, em depósito do ABM, cota atual: cx. 2, n.º 5)
Praça do peixe do Mercado dos Lavradores, 27 de novembro de 1959 (Foto “Perestrellos Photographos”, em depósito no ABM, cota atual: cx.280, n.º 65).

Os anos foram passando. Hoje, século XXI, o Mercado dos Lavradores é o ponto e confluência do consumo regional de madeirenses e turistas. Os tempos são outros e as exigências também. Mas o Mercado continua a ser o Mercado. Um ponto de referência para os madeirenses e aqueles que nos visitam. Numa cidade em festa, recordar o Mercado dos Lavradores é mais do que justificado.

O presente do Mercado dos Lavradores, considerada a “catedral” do consumo regional.