Porto Santo Line nega acusações da IL quanto a alegada linha “de valor acrescentado”

foto R. Marote (arquivo)

A Porto Santo Line respondeu ao comunicado da Iniciativa Liberal ontem divulgado, que acusava a empresa de ter um número de valor acrescentado, afirmando que tal não é verdade. Apresenta a PSL um documento da ALTICE, para justificar a sua posição, no qual a empresa refere que as chamadas realizadas para o número 707200200 têm o custo de uma chamada para a rede fixa nacional.

Trata-se deste documento:

“A alteração recente para este número de telefone prende-se exclusivamente com o esforço contínuo, por parte da Porto Santo Line, de melhoria ao serviço prestado ao Cliente, conforme também se poderá concluir através do elenco de benefícios melhor identificados pela própria Altice (…)” no documento remetido à comunicação social.

Daí que a empresa, que se diz surpreendida pelo conteúdo do comunicado partidário, reafirma ser totalmente falso que aufira qualquer pagamento ou remuneração pelas chamadas efectuadas.

O documento da Altice, de facto, e conforme o FN pôde constatar, declara que as chamadas para o número supracitado têm o custo de uma chamada fixa para a rede nacional.

Pelo exposto, a Porto Santo Line, incomodada, diz que irá socorrer-se de “todos os instrumentos legais ao seu dispor”, para repor a verdade e responsabilizar “quem proferiu estas afirmações lesivas ao seu bom nome”. Assim o diz, e assina, Carlos Perdigão Santos, director executivo.

Entretanto, a Iniciativa Liberal, pelo seu lado, também já reagiu e refere que a Porto Santo Line “abespinhou-se” com o comunicado no qual “denunciávamos a existência de um número de contacto iniciado por 707, número reservado para chamadas de valor acrescentado”.

“A reposição da verdade não compete a este partido”, diz o mesmo. “Deve, a PSL, perguntar ao seu fornecedor de serviços porque não cumpre com aquilo que o regulador define, conforme se pode ver no link que deixamos abaixo”. Trata-se deste:

https://www.anacom-consumidor.pt/pergunte-anacom?c=141?0.6135000570486999#_48_INSTANCE_IMMHKJ7jr5kt_=https://anacom-consumidor.inbenta.com/?content_id=935

“Não retiramos uma vírgula ao que escrevemos, pois apoiados nas determinações do regulador”, insiste a IL, pela voz do seu coordenador, Nuno Morna. “Reforçamos o que por nós foi dito, com imagem do que está no site da ANACOM”. É a imagem abaixo:

E conclui o partido: “Connosco não contem para andar a brincar à política e à defesa dos direitos dos madeirenses”.