Sérgio Gonçalves continua a insistir que o PS pode governar “melhor” na RAM

O líder socialista regional, Sérgio Gonçalves, quer levar o PS à vitória nas eleições legislativas regionais do próximo ano e pretende fazer “melhor”, palavra que dá o mote à sua presente campanha.

Sérgio Gonçalves esteve na manhã de hoje na primeira reunião da nova Comissão Política Concelhia de Machico, na qual foram eleitos a Mesa da Comissão Política e o Secretariado concelhio.

Acusou o PSD de estar agarrado ao passado e de não ter soluções nem ideias novas para a Madeira, ao contrário do PS. “Nós queremos ser Governo na Região, porque podemos, efectivamente, governar melhor”, disse Sérgio Gonçalves.

O presidente dos socialistas madeirenses recordou, a propósito, o facto de os discursos da festa do Chão da Lagoa do passado fim-de-semana terem estado centrados no PS. Na sua explicação, é porque “nós temos soluções diferentes e podemos construir uma Madeira onde os madeirenses e porto-santenses possam viver melhor do que viveram ao longo das últimas décadas”.

Ao fim de mais de quatro décadas de governação social-democrata, a Madeira está na cauda do País, com a maior taxa de risco de pobreza e exclusão social e o mais baixo poder de compra e com dificuldades estruturais, sem que o PSD tenha sido capaz de resolver estes problemas. E, acrescentou, agora, com a “bengala do CDS, as coisas não melhoraram, só pioraram”, sentenciou.

O responsável fez também reparos ao facto de o PSD e o Governo Regional se autointitularem donos da Autonomia – quando esta é de todos os madeirenses – mas não a utilizarem.

Como explicou, a Madeira tem impostos mais altos do que o Continente e os Açores, porque o presidente do Governo Regional se recusa a aplicar o diferencial fiscal de 30% nas taxas do IVA e em todos os escalões do IRS. Uma matéria na qual tem insistido bastante.

“O Governo Regional quer um sistema fiscal próprio de baixa tributação e não faz uso dos instrumentos que tem à sua disposição”, afirmou, denotando esta “contradição permanente”.

Sérgio Gonçalves afirma, por outro lado, que o PS é um partido com propostas e soluções concretas e exequíveis para melhorar a vida dos madeirenses, sendo a única alternativa de governação credível. Deu, a propósito, o exemplo de Machico.

Por seu turno, o presidente da Concelhia de Machico salientou que a estrutura assume a obrigatoriedade de representar a força de um povo e de um concelho que sempre soube defender a liberdade e a democracia na Região e lutar por uma Madeira Melhor.

“A nossa Concelhia assume a responsabilidade de lutar pela Autonomia do poder local, em todas as circunstâncias. A concelhia deve reforçar o apoio a todos os autarcas eleitos, promovendo a aproximação aos cidadãos do concelho, ouvindo os seus problemas e possibilitando a sua resolução”, disse António Quintal.

Na reunião de hoje foi eleita a Mesa da Comissão Política Concelhia de Machico, presidida por Alberto Olim e tendo como primeira e segunda secretárias, respetivamente, Sofia Rudi Mendonça e Cláudia Costa.

Por seu turno, o Secretariado da Comissão Política Concelhia é liderado por António Quintal e é composto igualmente por Ricardo Franco, Alberto Olim, Ângela Silva, Marina Barbosa, Sofia Rudi Mendonça, Paulo Sérgio Vieira, João Franco dos Santos, Arlindo Viveiros, João Paulo Marques e Cláudia Costa.