Estepilha: “IDEIA” fechado por não ter ideias

Rui Marote
A música é a mesma mas os músicos são outros. Estepilha! Quem tanto criticou o “João das Festas” pelas inaugurações… O velho slogan de campanha eleitoral continua: “fazer inaugurações e ganhar eleições”. Neste caso é manter a cadeira dourada de sonhos no podium do parlamento.
O Estepilha durante décadas acompanhou centenas de inaugurações, algumas sem a obra terminada mas pelo menos com o objectivo de fazer chegar a luz a quem era iluminado a petróleo, água canalizada a quem se reabastecia do fontenário e das levadas, centros de saúde e escolas e estradas a quem delas precisava.
Como temos sempre uma história a narrar recordo um episódio em Santana de uma estrada com marcação de inauguração às 17 horas. A empresa que efectuava os trabalhos de asfaltagem ainda se encontrava com maquinaria à hora da inauguração a finalizar os últimos metros. O presidente do Governo, que iria presidir ao acto, foi obrigado a aguardar num restaurante durante uma hora, até que os trabalhos de asfaltagem estivessem finalizados.
Ao chegar ao local foi recebido pelo povo em apoteose com foguetes e banda de música, enquanto do alcatrão saíam nuvens de vapor quente. As esposas do elenco governativo, ao sairem dos carros e colocarem o pé no novo “tapete”, o salto dos sapatos perfurava o betão, ficando preso o sapato e descalças…
Mas nos dias de hoje as inaugurações não fogem à regra. Na passada terça-feira dia 19, a Assembleia Regional inaugurou na Rua da Alfândega o IDEIA – investigação divulgação e estudos e informação sobre a autonomia. Tudo para perpectivar o futuro porque a “autonomia está num impasse”.
Acontece que o” IDEIA foi inaugurado e logo de seguida encerrado por não ter IDEIAS, supõe-se.
Estepilha, de facto a autonomia está num impasse…