O que ainda não foi dito: Conselho de Estado revaloriza a Madeira através das Selvagens, revela Miguel Albuquerque

Selvagens pode levar longe Portugal e naturalmente a Madeira, diz o presidente. Foto DR.

Miguel Albuquerque participou, ontem, no Conselho de Estado e assistiu à oração de sapiência do americano John Kerry, enviado presidencial dos EUA para o clima, convidado pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. Na entrevista concedida ao FN, o presidente ressalvou que não pode falar publicamente do Conselho de Estado. Mas o FN apurou algo que não foi veiculado para a opinião pública: o peso decisivo das Selvagens e, consequentemente, uma nova projeção do arquipélago da Madeira, a nível europeu, com apoios ao mais alto nível.

Por ocasião deste Conselho de Estado, conta o presidente que, “foi abordado o facto de Portugal ser o país europeu com a maior reserva da Europa, através das Ilhas Selvagens, com 2676 km2, portanto, uma vitória de Portugal. O que está estabelecido é que a maioria dos países europeus tente alcançar sobretudo aquela plataforma continental, 30% de proteção do mar, e esta situação das Selvagens é uma situação muito prestigiante para o país graças à RAM”

Há um trabalho a fazer com apoios de Estado, alerta Miguel Albuquerque. Todos estão conscientes disso. “Agora é preciso alocar recursos para a fiscalização desta zona. Esta é uma grande vitória para Portugal porque o coloca na linha da frente das zonas protegidas a nível mundial. Isso foi reconhecido, mas neste momento é decisivo canalizarmos recursos nacionais e internacionais para essa área ser fiscalizada e iniciarmos estudos ao nível do aquecimento global, das alterações climáticas, da poluição oceânica, da renovação de stocks, da regeneração dos ecossistemas marinhos e a monitorização dessa área. Estivemos a discutir tudo isso”.