Iglésias questionou Negócios Estrangeiros sobre apoios à Venezuela

O deputado do PS-M à Assembleia da República, Miguel Iglésias, frisou a importância dos apoios providenciados pelo Estado Português à comunidade portuguesa e lusodescendente radicada na Venezuela, na qual estão integrados muitos madeirenses.

No âmbito da discussão na especialidade da proposta de Orçamento do Estado para 2022, o parlamentar questionou o ministro dos Negócios Estrangeiros, João Gomes Cravinho, relativamente às diversas medidas de apoio social aos cidadãos nacionais em situação de carência de meios de subsistência ou vulnerabilidade, sobre o apoio extraordinário no âmbito da Covid-19, o apoio para o regresso a Portugal dos cidadãos em situação de necessidade clínica, social ou económica, e ainda a ajuda a cidadãos detidos.

A par disso, instou o governante sobre os diferentes programas de apoio médico e de medicamentos, bem como em relação aos apoios ao associativismo, área que constitui uma das marcas da comunidade portuguesa e madeirense naquele país da América Latina.

O conflito na Ucrânia e a dependência europeia de gás e petróleo foi outro dos assuntos abordados por Miguel Iglésias, que aproveitou para questionar o ministro relativamente à internacionalização e o trabalho que tem sido efetuado em termos de investimento no sector das energias renováveis, “que tão bons frutos tem dado ao País”.

O deputado socialista questionou ainda o trabalho em curso relativamente aos Custos de Contexto da economia portuguesa, para que possamos ter vantagens competitivas sobre os nossos países concorrentes, bem como sobre o lançamento da Marca Portugal e da Academia da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP).

No tocante às políticas de internacionalização, Miguel Iglésias solicitou ainda informações ao titular da pasta dos Negócios Estrangeiros sobre a recuperação pós-Covid, sobre os investimentos em curso e sobre as perspectivas do trabalho desenvolvido pela AICEP, sendo que este ano terá o maior orçamento de sempre.

Focando igualmente o papel do Estado no incentivo ao sector privado e a vertente da responsabilidade social, o deputado indagou o ministro sobre o trabalho em curso na relação com as empresas e associações empresariais, e nos setores estratégicos da nossa economia.