Antiga piscina da Levada será convertida em pavilhão multiusos

De acordo com uma informação da Secretaria Regional de Equipamentos e Infraestruturas, o Conselho do Governo de hoje, 21 de Abril, vai autorizar o lançamento do concurso público relativo à empreitada designada por “Escola Básica e Secundária Dr. Ângelo Augusto da Silva – Adaptação da Piscina em Pavilhão Multiusos”, até ao montante de 1.600.000,00 euros + IVA.

Este edifício faz parte do volume das instalações desportivas cobertas que compõem este estabelecimento escolar, está inserido numa área urbana consolidada e é um elemento que se diferencia na sua envolvente através da sua volumetria, num local onde existe maior predominância de habitações unifamiliares, na sua maioria de dois a três pisos.

A antiga piscina, que se encontra desactivada há vários anos, será reconvertida em pavilhão multiusos. A reabilitação será também feita ao nível estrutural, já que o edifício, com mais de 40 anos de existência, nunca foi alvo de manutenção. Assim, a intervenção será mais profunda ao nível estrutural e de infraestruturas, mas também espacial, adaptando-o às novas exigências e preocupações da actualidade.

O volume do edifício, em termos altimétricos, também será ampliado. Assim, foi necessário elevar a fachada em 3,30m, para cumprir algumas exigências de carácter desportivo, permitindo a prática de desportos como o minibasquetebol, o miniandebol, o voleibol e o badminton.

Os alçados serão também alterados com a criação de uma membrana que revestirá o exterior do pavilhão, permitindo não só a criação de novos vãos, mas também beneficiando acusticamente e termicamente a vivência no interior deste espaço.

Quanto à cobertura, devido à alteração da altura da fachada, a mesma terá de ser nova.

No que concerne à acessibilidade do pavilhão, foram mantidos os acessos, com a melhoria da entrada pela Rua Dr. Ângelo Augusto da Silva, através da criação de uma pequena rampa para facilitar a entrada de pessoas com dificuldades motoras.

O edifício desenvolve-se entre três níveis, sendo o campo multiusos no piso 0 e as áreas de serviços e de balneários no piso 0 e piso 1. Quanto ao público, tem uma bancada e zonas de serviços no piso 1 e uma galeria no piso 2.

Os balneários foram todos redesenhados de acordo com as necessidades actuais, tornando estes espaços mais dinâmicos e funcionais para um uso intenso dos mesmos, acrescenta-se.

Outro aspecto tido em consideração neste projecto, adianta a nota enviada à comunicação social, foi a galeria existente no piso 2 que, sendo um espaço de difícil acesso, era pouco ou nada utilizado. Assim, atendendo a que não era possível efectuar a sua demolição, aproveitou-se para criar uma ligação entre a bancada do público do pavilhão principal para uma maior relação entre estes dois espaços.