Ryanair começa operação na RAM com dois aviões e 10 novas rotas

A Ryanair começa hoje, 14 de Abril, a abertura oficial da sua nova base na Madeira, com duas aeronaves. Tal representa um investimento de 200 milhões de dólares e 60 novos empregos directos. A primeira programação de Verão da Ryanair na Madeira é também já apresentada. A Ryanair vai operar mais de 80 voos semanais para o Verão 2022. Diz querer “impulsionar o turismo na Madeira e aumentar a conectividade doméstica em Portugal”.

A Ryanair na Madeira assegurará 10 novas rotas de/para Dublin, Londres, Paris, Milão, Manchester, Bruxelas, Marselha, Lisboa, Porto, Nuremberga, em mais de 80 voos semanais, com 4 rotas exclusivas, e, assegura-se, com as tarifas mais baixas possíveis.

Eddie Wilson, CEO da Ryanair, afirma: que a Ryanair está empenhada em apoiar a recuperação do turismo em Portugal, após dois Verões afectados pela pandemia.

“A abertura desta base e a introdução destas novas rotas a partir da Madeira demonstram o nosso compromisso em aumentar a conectividade, aumentar as opções de viagem e o turismo na Madeira. Como resultado deste investimento, serão criados 60 empregos directos no aeroporto da Madeira e mais de 500 empregos indirectos na indústria turística da região”, refere.

“Para que os nossos clientes e visitantes de/para a Madeira possam reservar as suas escapadelas de Verão com as melhores tarifas possíveis, lançamos uma oferta com tarifas disponíveis a partir de 19,99 euros para viagens de Abril a Outubro, que devem ser reservadas até sábado, 16 de Abril. De forma a assegurar estas ofertas, encorajamos os nossos clientes a consultarem o website da Ryanair para garantirem os seus lugares”, diz.

Por seu turno, Thierry Ligonnière, CEO da ANA|VINCI Airports, dá conta da satisfação com que foi visitada hoje a nova base da Ryanair da Madeira, em operação desde 29 de Março.

“Este investimento resulta do empenho conjunto com a Ryanair, com a Associação de Promoção Turística da Madeira e com o Turismo de Portugal, reforçando também a parceria global existente entre a VINCI Airports e a Ryanair. A Ryanair opera em 11 aeroportos da rede VINCI e é a segunda maior companhia aérea a operar na rede de aeroportos ANA. Neste momento, opera cinco bases em Portugal: Lisboa, Porto, Faro, Ponta Delgada e agora também na Madeira”.

Já o presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, refere que a instituição “tem trabalhado, nos últimos anos, na melhoria da conectividade aérea do país, promovendo o aumento e a diversificação de rotas para as diversas regiões”.

Adiantou ainda que “a colaboração entre entidades públicas e privadas, nomeadamente com a ANA Aeroportos e as Regiões, tem garantido o funcionamento e o crescimento da operação das companhias aéreas com o objectivo de garantir maior conectividade, resiliência e diversificação de mercados. A aposta na pluralidade da oferta tem sido estrategicamente promovida, como tem sido prova o crescimento da Ryanair em Portugal, sendo actualmente a segunda maior companhia a operar no País, depois da TAP.

Por seu turno, o secretário regional de Turismo e Cultura e presidente da Associação de Promoção da Madeira, Eduardo Jesus, considera a entrada da Ryanair na Madeira “uma grande aposta da Região no reforço da conectividade e simultaneamente na diversificação de mercados de origem. Tem a virtude de trazer novas rotas ao destino, das quais cinco não eram operadas para a Região Autónoma. Desta forma, amplia a capacidade de trazer mais passageiros de mercados ainda não servidos, e de outros já existentes, com mais acessibilidade e melhor preço. De um momento, a Madeira passa a dispor de mais 22% na disponibilidade de lugares, que constitui uma oportunidade de fazer crescer o sector e, consequentemente, toda a economia regional”.

“Além disso”, salienta, “trata-se da maior companhia europeia, com uma ampla rede própria de comunicação que a Madeira passa a utilizar na sua promoção, o que nos permite alcançar milhões de pessoas, através das várias campanhas de co-branding programadas para aumentar a notoriedade e visibilidade do destino”.