JPP vai pedir uma reunião com Rita Andrade para perceber a alegada privatização de lares

O JPP vai pedir uma reunião com a secretária regional da Inclusão, Rita Andrade, para perceber as questões em torno da alegada privatização de lares que estão sob a tutela da Secretaria Regional da Inclusão.

Após o pedido de audição parlamentar requerido pelo JPP e chumbado pela maioria parlamentar PSD/CDS, no passado dia 22 de Março, o Juntos pelo Povo decidiu que “se Maomé não vai à montanha, a montanha irá até Maomé”.

Em causa estão movimentações por parte do executivo da coligação PSD/CDS para a alegada privatização de lares públicos na Região, situação que está a inquietar vários profissionais do sector, diz este partido.

O JPP relembra que é fundamental valorizar e contratar profissionais e melhorar os equipamentos e as infraestruturas dotando-os de recursos necessários às respostas que desenvolvem.

Neste momento, a situação é crítica: mantém-se a falta de profissionais, o cansaço e exaustão dos que ainda permanecem, a degradação das infraestruturas e, sem qualquer comunicação e diálogo com os trabalhadores, sabemos que haverá intenção de privatizar estes estabelecimentos para idosos que prestam serviços fundamentais à comunidade. Mas tudo isto, a troco de quê?

Na reunião da comissão especializada, o PSD justificou o chumbo com o facto de ainda não ser o momento certo para abordar esta questão. Para o JPP, todos os momentos são certos para que o executivo madeirense esclareça aos madeirenses e porto-santenses o seu trabalho e as decisões que serão tomadas e que afectarão, num futuro próximo, toda a comunidade.