CMF aprovou orçamento e plano para 2022; contrai-se empréstimo de 3 milhões

A Câmara Municipal do Funchal (CMF) aprovou as propostas de orçamento e de grandes opções do plano para 2022, refere hoje uma nota de imprensa, na sequência da reunião da autarquia, a qual diz apresentar o maior orçamento nos últimos vinte anos, no montante de 110 milhões de euros.

São mais 6 milhões de euros, o que corresponde a um acréscimo de 5,6%. Há um acréscimo de 30% dos apoios sociais no montante de 5,8 milhões de euros, informa-se.

O edil Pedro Calado deixou bem claro que a CMF não vai acabar com os programas de apoio social. “O que vamos fazer é reformular a forma como os apoios são concedidos à população porque hoje a realidade é diferente de há um ano atrás. Nós estávamos numa situação de emergência, hoje, estamos numa situação de contingência, a taxa de desemprego diminuiu, a economia está a crescer, portanto há uma série de apoios que vão ser canalisados apenas para as pessoas que precisam”.

Pedro Calado salientou, por outro lado, que a  proposta de orçamento do município do Funchal  para o próximo ano reduz a carga fiscal sobre as empresas para ajudar a economia a desenvolver-se e determina a devolução às famílias de 2,5% do IRS , com efeitos a partir de 2023.

O presidente da autarquia considera este “um bom orçamento para fazer crescer a economia e criar mais postos de trabalho”.

Nesta reunião camarária foi ainda decidido autorizar a abertura de procedimento para contrair um empréstimo de médio/longo prazo no montante de 3 milhões de euros para a comparticipação do Município em obras cofinanciadas para a Recuperação e Ampliação da ETAR do Funchal: Conclusão da 1ª fase e 2ª fase (tratamento Primário).

Pedro Calado refere que foi feita a renegociação das verbas comunitárias que estavam afectas a este projecto, bem como alargar o âmbito de beneficio dos fundos comunitários.