Rui Abreu em Jersey comenta voos esgotados para a Região em Dezembro

De visita a Jersey, o director regional das Comunidades e da Cooperação Externa, Rui Abreu, constatou que os voos directos para a Madeira em Dezembro esgotaram em poucos dias. Apesar do valor do bilhete ser elevado, a comunidade madeirense naquela ilha britânica queria mais voos nesta época.

Dados os constrangimentos da pandemia, as ligações entre as duas ilhas foram praticamente interrompidas, obrigando quem viaje entre Jersey e Funchal a fazer escala em Londres e Lisboa, explicou o governante madeirense.

Assim, para responder à crescente procura, duas agências de viagens organizaram seis voos charters em Dezembro, sete voos em Janeiro e quatro em Abril, todos operados pela British Airways.

“Os voos de Dezembro estão completamente cheios, apesar do valor do bilhete ser um pouco caro. Isto demonstra que há uma grande vontade dos nossos concidadãos em visitar a Madeira, os familiares e os amigos, depois de dois anos sem viajar devido à crise pandémica”, constatou Rui Abreu.

No entanto, continuou, “a comunidade Madeirense acha que deveria haver mais voos directos para a Madeira nesta época festiva, o que demonstra que há mais procura do que oferta”.

Rui Abreu aproveitou o dia para tomar o pulso da comunidade e dos pequenos comerciantes madeirenses em Jersey. Visitou lojas, cafés, padarias, pastelarias, bares, restaurantes e pequenos supermercados em Saint Helier, reporta um comunicado.

“Os nossos conterrâneos dizem que estão bem, que a economia melhorou muito depois da primeira fase da pandemia, o que é positivo”, salientou. A comunidade madeirense espera que não haja mais nenhum ‘lockdown’.

No entanto, há um problema que preocupa os empresários madeirenses em Jersey.

“Aqui há um problema idêntico ao da Madeira, que é a falta de mão-de-obra”, referiu, explicando que esta dificuldade de recrutamento, acontece porque o processo de visto começa sempre no Reino Unido, com uma oferta de trabalho e respectivo registo junto das autoridades de imigração.

Neste sentido, a Direcção Regional das Comunidades e Cooperação Externa tem ajudado quem quer emigrar para Jersey com o preenchimento do requerimento do pedido de visto e do agendamento da recolha de dados biométricos em Lisboa.”