Funchal recebe cerimónia de entrega dos prémios “Município do Ano”

Numa coorganização da Universidade do Minho, através da plataforma UM-Cidades, e da Câmara Municipal do Funchal, o Funchal recebe, no dia 2 de Dezembro, a cerimónia de entrega dos Prémios Municípios do Ano, no Teatro Municipal Baltazar Dias. Trata-se da sétima edição desta iniciativa, que conta com 27 municípios nomeados em várias categorias e, também, para o prémio mais importante, o de município do ano.

A sétima edição contou com 44 candidaturas de todo o país, incluindo Regiões Autónomas. Estão nomeados projetos de 27 municípios para nove categorias regionais, para a intermunicipal e, ainda, para o grande prémio.

Na cerimónia, com início marcado para as 16:00, intervirão o presidente da Câmara Municipal do Funchal, Pedro Calado, o reitor da Universidade do Minho, Rui Vieira de Castro e o coordenador da UM-Cidades, Paulo Pereira, sendo ainda de destacar a realização de uma mesa-redonda subordinada ao tema: “O papel dos municípios no contexto da pandemia”.

Esta mesa-redonda, que antecede a entrega de prémios, será moderada pelo jornalista Gil Rosa, e contará com os contributos da vice-presidente da CMF, Cristina Pedra, do presidente da ACIF, Jorge Veiga França, do director clínico do Hospital Dr. Nélio Mendonça, Júlio Nóbrega, e do professor Paulo Novais, da Universidade do Minho.

Para Pedro Calado, o facto da sétima edição se realizar no Funchal é “extremamente positivo, por ser um evento de alcance nacional e que permite promover a cidade e a Região enquanto destino de excelência”, além do mais, realça, “é uma iniciativa que procura mostrar e premiar as boas práticas e políticas públicas municipais de todo o país”.

Para esta edição , os finalistas nomeados são: Amares, Cabeceiras de Basto e Monção (Norte com menos de 20 mil habitantes); Amarante e Guimarães (Norte com mais de 20 mil habitantes); Maia, Porto, Santa Maria da Feira e Valongo (Área Metropolitana do Porto); Arganil, Pampilhosa da Serra e Vouzela (Centro com menos de 20 mil habitantes); Águeda, Figueira da Foz, Mealhada e Vagos (Centro com mais de 20 mil habitantes); Arruda dos Vinhos, Palmela e Vila Franca de Xira (Área Metropolitana de Lisboa); Aljustrel, Portel e Viana do Alentejo (Alentejo); Faro e Silves (Algarve); Santa Cruz (Regiões Autónomas); Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Oliveira de Azeméis, Porto, Póvoa Varzim, São João da Madeira, Santa Maria da Feira, Santo Tirso, Trofa, Valongo, Vila do Conde e Vila Nova de Gaia; Barcelos, Braga, Famalicão, Guimarães (Intermunicipal).

Esta iniciativa da Universidade do Minho começou em 2014, tendo nesse ano o prémio sido ganho por Lisboa com o projecto “Há vida na Mouraria”, seguindo-se, em  2015,  Vila do Bispo, com o “Festival de Observação de Aves & Actividades de Natureza”, em 2016, o Fundão com o “Academias de Código”), em 2017, Guimarães com o projeto “Pay-as-You-Throw no Centro Histórico,  em 2018, Arouca, com o “Arouca – Geoparque Mundial da UNESCO”) e, em 2019, o  Funchal com o “Funchal, Destino Acessível”).