“Confiança” afirma continuar a trabalhar com proximidade e visão de futuro para o Funchal

Uma nota do vereador Miguel Gouveia refere que na reunião de câmara desta semana, a vereação da coligação Confiança votou favoravelmente à prorrogação por 150 dias à execução da obra da primeira fase do “controlo e monitorização de fugas nas redes de águas associado ao sistema de telegestão existente no Concelho do Funchal”.
Esta obra foi lançada no mandato anterior, a qual tem sido responsável por intervenções um pouco por todas as freguesias de São Martinho, São Pedro e Santo António, e representa um investimento de 2,3 milhões de euros, sendo fundamental para a redução de perdas de água potável.
A prorrogação aprovada por unanimidade deveu-se a atrasos na obra por factores externos à CMF, maioritariamente provocados directa ou indirectamente pela pandemia, esclarece Miguel Gouveia.
Todavia, realçamos que não deixa de ser irónico que esta deliberação tenha sido proposta por aqueles que recentemente criticavam fortemente os atrasos nas obras no Funchal, refere o comunicado da “Confiança”. A política de proximidade também permite-nos conhecer as dificuldades no terreno e evitar cair em incoerências discursivas.
Já no Período Antes da Ordem do dia (PAOD), a Coligação Confiança trouxe à colação os seguintes assuntos:

  1. A necessidade de manter a aposta na candidatura do Funchal a Capital Europeia da Cultura 2027, cujo prazo termina a 23 de Novembro, nomeadamente na manutenção do nível do investimento plurianual previsto. Esta é uma candidatura que representa a esperança de todos os municípios da Região Autónoma da Madeira e que se posiciona para representar todas as ultraperiferias europeias.
  2. A vereadora Micaela Camacho abordou a importância do Funchal continuar a se afirmar como cidade pioneira nas políticas de Igualdade de Género, nomeadamente na promoção da Semana da Igualdade e no assinalar do Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres (25 de Novembro).
  3. Obtivemos ainda a resposta a uma questão colocada na semana passada sobre a escarpa sobranceira à promenade entre a Praia Formosa e Câmara de Lobos, sendo informados que a mesma permanecerá encerrada até que os estudos de estabilidade da mesma e eventual intervenção posterior sejam concluídos.