Embaixador do Cazaquistão quer criar consulado no Funchal

O presidente do parlamento madeirense recebeu, esta segunda-feira, em audiência, o embaixador extraordinário e plenipotenciário da República do Cazaquistão em Portugal, Daulet Batrashev, que assumiu funções em Setembro de 2019.

Esta é a primeira deslocação à Região, procurando inteirar-se da realidade e potencialidades do arquipélago e estreitar laços entre o seu país e a Madeira, refere uma nota da ALRAM.

Nesse sentido, o diplomata manifestou o desejo de criar, na capital madeirense, um consulado do Cazaquistão, pois crê que existem todas as condições para estabelecer uma relação de colaboração entre cazaques e madeirenses, quer a nível económico quer a nível cultural.

Antes do encontro com o presidente do parlamento, o embaixador encontrou-se com o presidente da ACIF, uma reunião que teve, precisamente, o propósito de explanar as possibilidades de negócio entre a Madeira e o Cazaquistão. Daulet Batrashev falou, inclusive, das semelhanças históricas, e até culturais, entre Portugal e o Cazaquistão, notando que portugueses e cazaques são ambos povos nómadas; os primeiros de mar e os segundos de terra, e que uns e outros veem na instituição família um dos seus valores basilares.

A Madeira era um destino que, há muito, o diplomata queria visitar e, não fosse a pandemia COVID-19, já o teria feito muito antes, como fez questão de frisar, deixando claro que a distância geográfica entre Portugal e o Cazaquistão não constitui qualquer impedimento ao estreitamento de laços entre as duas nações.

No próximo ano, assinalam-se 30 anos de colaboração entre Portugal e o Cazaquistão, efeméride que a Embaixada pretende comemorar com vários eventos, sendo que dois destes poderão realizar-se no Funchal. O Cazaquistão ocupa o nono lugar no ranking dos maiores países do mundo, com cerca de 19 milhões de habitantes e 128 nacionalidades.

O presidente da Assembleia Legislativa da Madeira mostrou-se inteiramente disponível para reforçar as ligações com aquele território e aproveitou a ocasião para traçar o perfil histórico-cultural e político-constitucional da Região Autónoma da Madeira, agradecendo a visita de cortesia do embaixador.