Obras da Central de Baterias começam em Setembro com fundos da UE

Na segunda quinzena de Setembro começaram os trabalhos específicos referentes à obra da empreitada “Instalação e Integração de Sistema de Armazenamento de Energia com Baterias no Sistema Elétrico da ilha da Madeira”, abreviadamente designada por Central de Baterias da Madeira (CBM), da responsabilidade da EEM-Empresa de Electricidade da Madeira, S.A., inserida no Complexo Industrial da Central Térmica da Vitória (CTV), concelho do Funchal, após a prévia preparação do local para receber esta instalação, refere uma nota da Secretaria presidida por Pedro Fino.

Esta Central enquadra-se na estratégia regional de melhoria da integração de electricidade a partir de fontes de energia renovável, através da redução da potência térmica, garantindo a segurança de exploração do sistema elétrico, a melhoria da eficiência do sistema electroprodutor e a redução das emissões de CO2.

Este sistema, com uma potência e capacidade de energia previstas a instalar de 22,5MVA/15,6MWh, respetivamente, visa complementar o sistema electroprodutor da ilha da Madeira, com recurso a baterias de tecnologia de iões de lítio e electrónica de potência avançada, o que permitirá a otimização dos activos de geração próprios e a integração de mais energia “verde”, aumentando assim a quota de energias renováveis no mix energético de produção regional, sendo um importante contributo para a meta dos 50% de eletricidade renovável, a alcançar nos próximos anos, refere uma nota da Secretaria Regional de Equipamentos e Infraestruturas, após a visita do governante hoje à Central de Baterias.

Trata-se de um investimento global na ordem dos 10,6 milhões de euros, incidindo a maior parcela na construção da central de baterias propriamente dita, adjudicada no princípio deste ano ao agrupamento SIEMENS/FLUENCE, sendo co-financiado pelo Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (PO-SEUR/EU), Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo de Coesão, num montante de cerca de 6,05 milhões de Euros, cujo eixo prioritário é apoiar a transição para uma economia com baixas emissões de carbono em todos os sectores e desenvolver a promoção da produção e distribuição de energia proveniente de fontes renováveis.

Adicionalmente, a integração desta Central de Baterias de engenharia avançada no sistema electroprodutor da Ilha da Madeira irá também proporcionar serviços de sistema, através da resposta imediata de potência, permitindo: i) reduzir o número mínimo de geradores térmicos (pelo menos um grupo gerador), que asseguram os critérios mínimos de segurança de exploração da rede (reserva girante e resposta primária); ii) reduzir os custos de manutenção do parque térmico; iii) apoiar o controlo primário de frequência, bem como ajustes temporários de potência, possibilitando o adiamento do arranque ou da paragem de  grupos térmicos, face à incerteza e volatilidade das fontes de energia renovável, como a eólica e a fotovoltaica; iv) apoiar o arranque do sistema de bombagem, mantendo e melhorando sempre a habitual qualidade de serviço prestado pela EEM.

A empreitada terá uma duração de 286 dias, estando prevista a sua conclusão no princípio do mês de Junho de 2022.