PCP defende que a aposta nos transportes públicos tem de ser uma prioridade

O PCP veio hoje defender como prioridade regional a aposta nos transportes públicos, para combater alterações climáticas e a redução da emissão de carbono. Numa reunião realizada com a Secretaria Regional das Finanças, no âmbito da audição prévia para a preparação do Orçamento Regional para 2022, o PCP apresentou um conjunto de preocupações com a actual situação económica e social da Região, assim como opinou sobre a necessidade da implementação de medidas concretas para garantir o combate às alterações climáticas e defender o ambiente.

Numa altura em que uma das grandes preocupações dos povos está relacionada com a problemática das alterações climáticas, é necessário tomar medidas para minimizar o impacto humano na aceleração desse processo e contribuir entre outras medidas para a redução da emissão de carbono, preconizam os comunistas.

“Uma política de fomento da utilização dos transportes públicos é, sem dúvida, uma das medidas de maior alcance para reduzir a emissão de carbono na Região Autónoma da Madeira, assim como também, para além do seu impacto ambiental muito positivo, constituirá uma medida de justiça social”, referem.

O PCP considera que o Orçamento Regional para 2022, assim como o PRR, representam oportunidades para implementar medidas de fomento à utilização dos transportes públicos e à sua progressiva gratuitidade.

A redução do preço dos passes sociais para 30 euros, e a criação de um passe social intermunicipal no valor de 40 euros, apesar de na altura ter representado uma importante conquista, por si só, não representou um aumento exponencial da utilização dos transportes públicos.

A RAM é mesmo a Região do País onde existe uma menor utilização dos transportes públicos, e essa realidade tem de ser alterada de forma a garantir a redução da emissão de carbono, mas também por ser uma importante medida de justiça social, entende o PCP.

O partido considera que não só é possível, mas também necessário encetar um caminho de progressiva gratuitidade dos transportes públicos, tal como já reivindicou anteriormente, garantindo já em 2022 a mesma para os estudantes e para os reformados e pensionistas. O PCP quer ainda criar o passe único para toda a Região Autónoma da Madeira.

O PCP também defende que importa garantir o aumento da oferta e da proposta de transportes públicos, do número de carreiras e de horários mais regulares, mais adequados às necessidades de mobilidade em horas de maior procura, de modo a dar resposta às necessidades de mobilidade dos trabalhadores e da generalidade da população. Só deste modo serão criadas condições para que seja mais atractiva a utilização dos transportes públicos, em detrimento da utilização de viatura própria.