ALRAM admite parceria com o Museu de Arte Sacra do Funchal

O parlamento regional diz-se disponível para colaborar com o Museu de Arte Sacra do Funchal. O presidente da ALRAM admite uma parceria no apoio a exposições e ao restauro. Uma possibilidade referida durante a visita à exposição “D’Uma Estampa Antiga – Desenhos de Alfredo Miguéis para a Avenida do Mar”.

A parceria poderia passar pelo patrocínio da Assembleia Legislativa a algumas edições do Museu de Arte Sacra e à recuperação de uma pintura deste museu”, referiu José Manuel Rodrigues, para quem essa seria uma maneira de o parlamento, enquanto directo representante do povo da Madeira e do Porto Santo e instituição primeira da Autonomia, ajudar aquele que é um dos museus de referência da Região, “detentor da nossa memória cristã”.

Quanto ao director do Museu de Arte Sacra, agradeceu o gesto e a visita. “Gostamos que as pessoas que representam instituições de máxima relevância da vida política regional conheçam o trabalho que se desenvolve aqui no Museu  de Arte Sacra, que para além da extraordinária coleçcão da exposição permanente, procura ter uma programação mais abrangente e que toque outras áreas conexas com o tema património”, disse João Henrique Silva, defensor de uma “programação aberta, abrangente e em diálogo com a cidade”.

“D’UMA ESTAMPA ANTIGA. Desenhos de Alfredo Miguéis para a Avenida do Mar” foi uma exposição muito visitada, entre 30 de Junho e 30 de Setembro, e proporcionou uma instrutiva “revisitação de memórias e vivências da antiga “Avenida do Mar”, a partir dos desenhos de Alfredo Miguéis.

Nascido em 1883, na Madeira, e aqui falecido em 1943, Alfredo Miguéis, grande e esquecido pintor madeirense, foi um dos mais importantes discípulos de Columbano Bordalo Pinheiro, e expôs em Paris, em 1913, no famoso Salon des Artistes Français. A Sociedade Nacional de Belas-Artes premiou-o em pintura, em aguarela e até em desenho. Alfredo Miguéis deixou obra importante e muito apreciada, hoje patente no Museu de Arte Contemporânea (PORTO), na Câmara Municipal de Lisboa e no Museu Grão Vasco.

De regresso à Madeira, Alfredo Miguéis foi professor na Escola Industrial do Funchal, entre outros, com Henrique Franco e Abel Manta.

Esta exposição temporária do Museu de Arte Sacra do Funchal teve o apoio “técnico da Casa Museu Frederico de Freitas”.

A próxima exposição temporária é dedicada a António Aragão, pintor, escultor, historiador, investigador, escritor e poeta madeirense e um dos maiores vultos da cultura portuguesa.