Autarquia santacruzense decide homenagear cientista Manuel Biscoito

A Câmara Municipal de Santa Cruz decidiu homenagear o cientista madeirense Manuel Biscoito, com um Voto de Louvor e Medalha de Mérito Municipal. Diz a CMSC que no próximo dia 4 de Outubro, assinala-se o 35º aniversário da criação da Reserva Parcial Natural do Garajau, a primeira reserva marinha criada em Portugal, em 1986, pelo Decreto Legislativo Regional n.º23/86/M, de 4 de Outubro, e em grande parte situada no território de Santa Cruz.

Ora, para assinalar condignamente esta ocasião, a autarquia santacruzense decidiu homenagear um dos seus principais impulsionadores e responsáveis, “o Dr. Manuel Biscoito, ilustre cidadão santacruzense (…), refere uma nota aos meios de comunicação social.

Manuel José Biscoito (Funchal, 1958), residente em São Pedro – freguesia e concelho de Santa Cruz, é um biólogo marinho (licenciado pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto e Doutorando da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa) especializado em Ictiologia e Biologia de águas profundas.
Actualmente é Conservador de peixes e vertebrados do Museu de História Natural do Funchal e Director do Departamento de Ciência da Câmara Municipal do Funchal.
Fundou a Estação de Biologia Marinha do Funchal, onde exerceu o cargo de director entre 1999 e 2006.
É membro das sociedades Japonesa, Francesa, Americana e Inglesa de ictiólogos, entre outras.
É regularmente solicitado para avaliar a publicação de trabalhos científicos (referee) em revistas como “Cybium”, “Deep-sea Research”, “Journal of the Marine Biological Association of the UK”, etc.
É autor ou co-autor de 4 livros, 11 capítulos de livros, 115 artigos científicos e mais de 30 publicações em reuniões científicas e congressos.

A Reserva do Garajau, salienta a CMSC, é conhecida pela elevada limpidez das suas águas (permitindo observações a mais de 20 metros de profundidade), e possui elevada biodiversidade com uma riqueza ictiológica muito significativa.

Pela sua localização geográfica e principalmente pela sua riqueza biológica e águas transparentes e limpas, apresenta grande aptidão de utilização do ponto de vista recreativo, educativo e científico. É uma área onde se dinamiza a prática do mergulho amador e funciona como forte atractivo para a deslocação de inúmeros mergulhadores amadores à Região.

Os fundos marinhos são povoados por uma abundante e residente fauna. Os afáveis e simpáticos Meros (Epinephelus marginatus) são a espécie emblemática da reserva, atraindo e despertando a curiosidade dos mergulhadores.