Dírio Ramos acusou JPP de muitas falsas promessas em Santa Cruz

A CDU esteve ontem à tarde em Santa Cruz, junto da antiga escola da Terça, onde o candidato à oresidência da Câmara Municipal de Santa Cruz Dírio Ramos, considerou que, “durante este ano do desgoverno do JPP na Câmara de Santa Cruz, muitas promessas foram feitas, mas as promessas não passaram à prática”.

De acordo com o candidato comunista, muitas foram as promessas não cumpridas, a baixa do IMI através do coeficiente de localização, ou a correcção do Plano Director Municipal, que “diziam que era um ‘far west'”. Dírio Ramos acusou o executivo santacruzense do JPP de ter aumentado as despesas de funcionamento da CMSC, aumentaram o número de acessórias e aumentado os salários dos vereadores.

“Prometeram construir um hotel com 70 milhões e com dezenas de postos de trabalhos, não cumpriram”, sentenciou. “No Porto Novo, ao invés de revitalizar a encosta, um ex-libris por excelência, prometeram um bananal que daria 70 toneladas de banana, nada fizeram”, criticou.

“Nada fizeram”, considerou ainda, “em relação ao saneamento: eram necessários 20 milhões para criar saneamento em todo o concelho de Santa Cruz”.

Em matéria de caminhos agrícolas, em 8 anos nenhum foi construído, acrescentou, criticando ainda o facto de, quando à esquadra policial e quartel de bombeiros no Caniço, nada ter sido feito. Defendiam, por outro lado, um Plano integrado de transportes, mas em 8 anos os transportes estão cada vez piores, denunciou, por outro lado.

As críticas do candidato da CDU apontam ainda para ETARs que não dão resposta ao saneamento, como nos Reis Magos ou no Portinho, em que o JPP votou contra as propostas da CDU que visava a resolução desta situação. Quanto a promessas de criação de lares de idosos, “zero lares em 8 anos”, resumiu.

Dírio Ramos denunciou ainda a falta de habitação social e de legalizações das casas por parte do JPP, que, em seu entender, “não cumpre, não fez, nem fará melhor”.

Por conseguinte, a solução para a população “é a CDU”, defende.