“Confiança” promete consolidar sete escarpas no Funchal

A candidatura da Coligação Confiança à Câmara Municipal do Funchal esteve ontem na freguesia de São Pedro, na Rua Velez Caroço, para apresentar uma proposta com vista à consolidação de sete escarpas um pouco por todo o concelho, ao longo do próximo mandato camarário.

Segundo o candidato à presidência da CMF, Miguel Gouveia, “o objectivo é continuar a aprofundar o trabalho que tem sido realizado pela edilidade funchalense ao nível da segurança e da mitigação de riscos na cidade, sendo que nos últimos anos já foram investidos sete milhões de euros para o efeito.”

Na visita, que contou com a presença do candidato à Presidência da Junta de Freguesia de São Pedro, António Gomes, e de elementos candidatos à equipa de vereação, Miguel Gouveia salientou que “a intenção da Coligação Confiança é que, já no início do próximo mandato, possamos avançar com a consolidação da escarpa sobranceira à Velez Caroço, sendo que o segundo alvo da nossa intervenção será a escarpa sobranceira à Estrada João Abel de Freitas, num troço que também regista bastante movimento automóvel, nomeadamente entre os Viveiros e a Brisa.”

Para além destas duas intervenções, anunciou que constarão também do programa eleitoral da Coligação Confiança a consolidação da escarpa situada na Levada de São João, também na freguesia de São Pedro, a escarpa sobranceira à Avenida Sá Carneiro, na freguesia da Sé, a escarpa sobranceira à Rua Conde Carvalhal, na freguesia de São Gonçalo, a escarpa do Lazareto, na freguesia de Santa Maria Maior, e a escarpa sobranceira à Praia Formosa, na freguesia de São Martinho.

Miguel Gouveia acrescentou que estas duas primeiras intervenções, na Rua Velez Caroço e na Estrada João Abel de Freitas, poderão contar com financiamento do POSEUR, na ordem dos 790 mil euros e de 500 mil euros, respectivamente. “As outras cinco intervenções terão ainda de passar por um processo de candidatura a fundos comunitários, seja por meio do próximo Quadro Comunitário de Apoio ou por via do Plano de Recuperação e Resiliência, mas estimamos que estas intervenções representem, no global, um investimento de 5 milhões de euros.”