CDU ataca com “mentirómetro” para apontar o dedo à CMF

A CDU realizou hoje uma acção política junto ao Gabinete Técnico das Zonas Altas, no Funchal, no bairro da Ribeira Grande, freguesia de Santo António. Ali os comunistas foram apontar “as mentiras da coligação liderada pelo PS no governo da Câmara Municipal do Funchal”.

Segundo Edgar Silva, candidato à Presidência da CMF, “ao contrário do que prometeu, o PS na CMF tudo tem feito para desmantelar o Gabinete Técnico das Zonas Altas. A actual vereação tem reduzido o pessoal afecto ao Gabinete das Zonas Altas, tem retirado técnicos, tem diminuído capacidade operativa ao Gabinete das Zonas Altas”, refere-se.

De acordo com Edgar Silva, “embora o PS tenha prometido valorizar o Gabinete das Zonas Altas, fez precisamente o oposto, só desmembrou um serviço que já era insuficiente no tempo do PSD. Ou seja, mudou, mas mudou para bem pior, mentindo às populações”.

Nesta iniciativa disse Edgar Silva: «Como se já não fosse suficientemente grave a redução do investimento previsto para as zonas altas, que teve um corte financeiro que fez passar o investimento nas zonas altas do Funchal dos 22% para 4,4%, durante este mandato, o PS no governo da CMF fez do Gabinete das Zonas Altas um alvo a abater. Prometeu fazer das zonas altas o “desígnio deste mandato”, e o que aconteceu foi o desinvestimento nos meios financeiros, o corte dos apoios, a diminuição dos recursos”, denunciou.

No seguimento desta identificação das mentiras da mudança prometida para o Funchal “a CDU coloca hoje junto ao Gabinete Técnico das Zonas Altas o “mentirómetro” da mudança. Trata-se de uma placa evocativa das mentiras mais grosseiras desta vereação. A soma destas placas servirá para medir a extensão e a intensidade das mentiras da mudança por parte do PS no governo da CMF”.

Como referiu Edgar Silva, “a colocação do “mentirómetro” da mudança pretende identificar no Funchal as falsas promessas. O “mentirómetro” será também colocado noutras localidades do concelho do Funchal para sinalizar a topografia das muitas mentiras, naquele que é o abismo entre o prometido pelo PS e aquela que é a realidade concreta da vida das populações no Funchal”.