CMF aposta em residência artística para a inclusão social

A CMF, em parceria com a Centro de Reabilitação da Sagrada Família, está a promover, desde 2020, duas residências artísticas com o Teatro Bolo do Caco e os Camachofones, para contribuir para a inclusão pelas artes. O projecto pretende fornecer aos utentes desta instituição uma formação em artes circenses e música, através de ensaios e oficinas, recorrendo à criação artística para ultrapassar barreiras sociais e preconceitos em relação à deficiência, refere uma nota de imprensa.

O primeiro evento público, no âmbito desta parceria, realizar-se-á no próximo dia 30 de Julho, sexta-feira, pelas 18 horas, no Teatro Municipal Baltazar Dias. Este evento será um ensaio aberto musical dirigido pelo projecto Inclusão com (Re)Percussão, com a participação do grupo de utentes e docentes do Centro de Reabilitação da Sagrada Familia chamado TAMPA e os Camachofones.

O grupo TAMPA, orientado por Marco Vieira, professor de música e director artístico da Companhia Inclusiva de Artes Performativas (C48), é composto por 12 jovens/adultos acolhidos pela instituição e pelos colaboradores do Centro de Reabilitação Psicopedagógica da Sagrada Família (CRPSF). Este grupo constrói os seus próprios instrumentos com materiais reutilizáveis e promovem, desta forma, a sustentabilidade ambiental. A C48 foi criada no ano de 2020 no CRPSF e incorpora as áreas da música, dança, teatro, artes circenses e artes plásticas.

O espectáculo terá uma duração de uma hora, e tem uma lotação de 40 pessoas. A entrada é livre mediante inscrição do formulário que se encontra disponível no site oficial do Teatro Municipal Baltazar Dias.