PTP pede auditoria às contas da Câmara Municipal de São Vicente

Alexandro Pestana, candidato do PTP à Câmara Municipal de São Vicente, afirma ser necessária e “urgente” uma auditoria exaustiva a todos os actos do executivo nos últimos 10 anos, pois, afirma, “há muita coisa estranha”.

De acordo com o candidato trabalhista, o município de São Vicente durante vários anos publicava no portal base.gov.pt as contratações que celebrava com empresas um ano mais tarde, quando o prazo legal é de 20 dias após a celebração do mesmo contrato, com o propósito de ninguém poder controlar o que se andava a fazer.
“Após denúncias públicas, 15 dias depois apareceram os contratos publicados em catadupa, e entre eles, havia um muito interessante, um negócio com a presidente da JSD São Vicente, na altura,  celebrado a 29 de Julho 2019, por 13.850€, para fiscalizar apenas uma obra de um caminho agrícola, ( https://www.base.gov.pt/Base4/pt/detalhe/?type=contratos&id=5757002)”, refere a nota enviada pelo PTP às Redacções.
Para Alexandro Pestana, este contrato vem só reforçar “a falta de independência dos autarcas que se diziam independentes e que não tinham nada a ver com o PSD mas afinal foi tudo uma peça de teatro para enganar o povo”.
Para o PTP, São Vicente deve ter um engenheiro civil nos quadros para este tipo de tarefas e não haver necessidade de contratar por valores absurdamente elevados entidades externas à autarquia.
O PTP refere que basta consultar o portal http://www.base.gov.pt e colocar o NIF da Câmara (511 240 112), “para ver o autêntico circo que reina na gestão do município. Praticamente, todos os contratos são realizados por ajuste directo” e “são sempre os mesmos a açambarcar o orçamento da câmara municipal”.