PTP denuncia IMI como “imposto ladrão” e acusa a coligação Confiança

A Assembleia Municipal reuniu hoje para discutir as contas consolidadas do município do Funchal, mas o documento não foi um assunto consensual, refere o PTP, numa nota às Redacções na qual admite que as contas geraram muitas críticas por parte da oposição. O PTP acusou o PS de usar os meios da câmara para atrair os partidos “bengaleiros” da Coligação Confiança, tendo votado contra o diploma.
Para Raquel Coelho, é inconcebível que os funchalenses paguem os seus impostos “a peso de ouro”, como é o caso do IMI (foram mais de 16 milhões), ao qual o apelidou de “imposto ladrão”, para o PS usar esse dinheiro não em favor dos munícipes, mas para comprar alianças políticas. “São subsídios, espaços para associações e licenças sabáticas pagas”, denunciou.