PS quer melhores condições para os pescadores camaralobenses

O PS-M exigiu, hoje, melhores condições para que os pescadores de Câmara de Lobos possam exercer a sua actividade. Hoje, os socialistas estiveram no concelho com o maior número de embarcações de pesca registadas, constatando que este município tem ficado para trás em relação a esta actividade.

“O concelho de Câmara de Lobos tem sido esquecido por aqueles que nos governam os anos todos em relação a outros concelhos em investimentos para a atividade piscatória. Por isso, é importante relembrar que os pescadores precisam de condições aqui nesta baía para poderem exercer a sua atividade”, afirmou o deputado Jacinto Serrão.

O também candidato à presidência da Câmara Municipal de Câmara de Lobos apontou a necessidade de serem criadas arrecadações para os pescadores poderem guardar e arrumar os seus materiais. Tal como afirmou, é possível construir as referidas infraestruturas, de forma simples e com pequenos investimentos, melhorando significativamente as condições para os homens do mar desenvolverem o seu trabalho.

Por outro lado, lembrou o porto de pesca prometido há décadas e que nunca foi construído. “Foi uma miragem, andaram a iludir os pescadores com esse equipamento”, denunciou Jacinto Serrão.

O socialista destacou o facto de a baía de Câmara de Lobos ser um cartaz turístico, não só do concelho, mas também da Região, razão pela qual entende que é importante cuidar deste espaço, aproveitando a cultura e as tradições para atrair mais investimentos no setor do turismo, do comércio, da restauração e também atrair mais visitantes. “Entendemos que é possível nesta baía investir em atividades de natureza cultural e nas tradições das atividades piscatórias, criando um museu vivo, onde se possam replicar as artes de pesca, onde os turistas e visitantes possam vir, conhecer e até mesmo experimentar aquilo que se faz no âmbito da atividade piscatória no concelho de Câmara de Lobos”, adiantou.

Na perspectiva de Jacinto Serrão, é importante apostar no sector terciário da economia, “aproveitando o que de bom e melhor o setor primário, neste caso as pescas, tem para oferecer”.