PTP denuncia violência recorrente nos jogos dos escalões de formação

Quintino Costa (foto R. Marote)

O PTP emitiu um comunicado, assinado pelo seu presidente, Quintino Costa, no qual se comenta a agressividade do desporto nos escalões de formação, a propósito de acontecimentos recentes na Madeira.

Diz o PTP que o presidente da Associação de Futebol da Madeira mostrou-se surpreendido com a recente agressão a um árbitro num jogo de escalões de formação. Ora, diz Quintino, “este episódio não pode ser considerado um acto isolado, pois quem acompanha estes jogos ao fim-de-semana depara-se com actos de violência física e verbal por parte dos vários intervenientes, desde treinadores, diferentes pais e jogadores”.

“A Região e os seus decisores políticos não podem continuar a assobiar para o lado no que diz respeito aos vários tipos de violência que se verifica nos encontros desportivos deste género”, entendem os trabalhistas.

Para o PTP, o Governo e o poder local devem tomar as devidas medidas para que os espaços desportivos públicos e os dinheiros públicos não sejam utilizados para incentivo a violência e mesmo para actos violentos como aconteceu este fim-de-semana.

“As autoridades policiais muitas vezes estão presentes e assistem a actos incorretos sem que nada façam”, denuncia o PTP.

“O que é verdadeiramente inacreditável, inqualificável e que tem de ter consequências, é a passividade dos clubes, autoridades e associações de futebol que permitem todo o tipo de violência em espaços destinados a bom desportivismo, financiando essa violência em nome de um tal complemento de formação”, critica.

“O PTP não está contra o desporto de formação mas exige que as autoridades tomem as devidas medidas para acabar com os campos de batalha existentes nos eventos desportivos”, conclui o partido.