Calado, Barreto e Freitas amanhã em cerimónia do SI Funcionamento

O Instituto de Desenvolvimento Empresarial, tutelado pela Secretaria Regional da Economia, realiza amanhã, 23 de Abril, pelas 11 horas, no Salão Nobre da Vice-Presidência do Governo Regional, a sétima cerimónia pública de validação dos termos de aceitação dos contratos do sexto aviso do ‘SI Funcionamento 2020’.

A cerimónia contará com a presença do vice-presidente do GR, Pedro Calado, do secretário Regional de Economia, Rui Barreto, e do presidente do IDE, Duarte Freitas.

Para a ocasião, face às limitações da pandemia, simbolicamente, foram convidadas vinte e cinco empresas representativas de diversos sectores de actividade, informa uma nota à comunicação social.

O VI aviso do Sistema de Incentivos ao Funcionamento representou uma procura recorde de vinte e nove milhões de euros, o triplo do previsto face à dotação inicial de 10 milhões. Ao todo, foram recebidas 1862 candidaturas de empresas que representam 17.220 postos de trabalho em toda a Região. Até à data, o IDE já analisou cerca de setenta por cento das candidaturas.

Depois da validação dos termos de aceitação do contrato, as empresas devem solicitar o adiantamento de 85% do valor de cada uma das candidaturas, seguindo-se imediatamente o pagamento dos apoios.

Em causa estão ajudas a fundo perdido que podem ser usadas como alívio à tesouraria para pagar salários, despesas com consumo de energia elétrica, consumo de água, custos com contribuições obrigatórias para a segurança social e serviços de contabilidade.

Do universo de1862 candidaturas, mais de sessenta por cento representam três sectores fundamentais. Em primeiro lugar surge o Comércio e Serviços com 567 projetos (30,45%), segue-se o Turismo, Alojamento e Restauração, com 413 projetos (22,18%) e em terceiro lugar surgem as Atividades Imobiliárias, com 229 candidaturas (12,3%).

Desde o início deste quadro comunitário, por via do SI Funcionamento, foram pagos apoios na ordem dos 125 milhões de euros, 58 milhões provenientes de fundos comunitários (FEDER) e os restantes 66,5 milhões de euros do Orçamento da Região, representando um esforço regional de mais de 50%.