PS-Santa Cruz critica alegado desinvestimento na Cultura

O PS-Santa Cruz diz saber, através dos documentos anexos à convocatória de reunião de câmara na próxima terça-feira, que o executivo camarário se prepara para cancelar todos os eventos culturais no concelho já agendados para este ano, discordando o partido frontalmente desta tomada de posição por parte da autarquia.

“Na opinião da concelhia local do PS”, refere um comunicado, “as entidades culturais do concelho de Santa Cruz estão a ser esquecidas por parte da Câmara Municipal de Santa Cruz (CMSC), que as abandona quando estas mais precisam de apoio camarário. Os eventos culturais são os meios de subsistência das entidades culturais, e como bem é sabido, Santa Cruz é um polo importante da cultura regional. Para António Alves, presidente da concelhia do PS de Santa Cruz, “estão em causa não apenas as famílias dos trabalhadores da cultura que são das classes mais fustigadas por esta crise, mas também a nossa identidade cultural se a decisão da Câmara Municipal de Santa Cruz for adiante”.

Para António Alves, ao invés de tomar a decisão de cancelar a cultura e de contribuir ainda mais para a enorme crise das entidades culturais, muitas delas na eminência de fechar portas, a CMSC deveria seguir exemplo de outras autarquias que mantêm os eventos culturais agendados, fazendo a sua transmissão via online através de canais digitais e das redes sociais e desta forma apoiam directa e indiretamente os agentes culturais do seu concelho, demonstrando assim uma capacidade de adaptação a estes novos tempos.

O PS Santa Cruz, nas várias reuniões de trabalho que tem vindo a ter com alguns agentes culturais do concelho, tomou contacto com as suas preocupações e até consternação relativamente à falta de solidariedade e sensibilidade por parte do executivo da Câmara para a cultura neste tempo de COVID, diz um comunicado enviado às Redacções.

Em 2020 as entidades candidataram-se aos Apoios ao Movimento Associativo. Os mesmos foram todos cancelados através de carta deixando agentes culturais e igualmente os desportivos, surpresos pela atitude e completamente sem apoios camarários. Dessa forma, António Alves apela ao executivo da CMSC que não repita em 2021 a medida “desastrosa” que tomou em 2020, de cancelamento dos apoios ao Movimento Associativo.

Por outro lado, e relativamente ao aumento do apoio que possa ser atribuído às famílias mais carenciadas, também em discussão na próxima reunião de câmara, o PS-Santa Cruz concorda com o aumento do mesmo, mas diz que isto não pode ser feito à custa do desinvestimento na área cultural.

“Não podemos ficar indiferentes à visível falta de estratégia e de criatividade por parte do executivo camarário de Santa Cruz para se adaptar a estes novos tempos. Não podemos estar perante uma mera decisão de Excel de retirar verba de um local para colocar noutro, o executivo camarário deve ver outras opções antes de tomar decisões arbitrárias que impactam na vida das pessoas”, refere António Alves.