RIR critica “propaganda mentirosa” da CMF

O RIR veio pôr em causa “uma carta a ser enviada aos munícipes do Funchal, a propagandear aquilo que a Câmara tem feito, apesar de ter o seu orçamento chumbado”.

A CMF, diz Roberto Vieira, “está a usar o dinheiro da autarquia, para enviar uma carta, que mais parece um boletim de propaganda política, com o agravante de estar a mentir aos munícipes do Funchal”.

Nesta missiva, diz o RIR, refere-se que o orçamento foi chumbado, mas que o trabalho tem sido feito na mesma, “o que é uma falsidade, pois o orçamento não foi aprovado, porque esta Câmara Municipal, está a falhar e muito nas promessas feitas em campanha eleitoral, o investimento ficou muito aquém do prometido em diferentes áreas, como por exemplo nas novas acessibilidades, na habitação social, na salubridade, no apoio aos jovens e noutras áreas importantes para a cidade”.

“Faliram a FrenteMar, a Sociohabita segue o mesmo caminho, os apoios em tempo de pandemia ficaram na gaveta do presidente, nomeadamente aos comerciantes e seus trabalhadores, esbanjaram dinheiro em festas e em fogo de artifício, gastaram milhões em publicidade, apoiaram instituições fantasma, falharam na maioria dos apoios sociais, entregaram habitações T2 a pessoas que vivem sós, endividaram-se nos Bancos até dizer chega, entre tantas outras barbaridades”, acusa este político.

“Por estas razões todos os  partidos da oposição e deputados independentes votaram contra o orçamento, permitido que o valor do orçamento do ano anterior fosse usado e esta Câmara vem dizer aos funchalenses, que coitadinha está a governar sem dinheiro, o que é uma autêntica mentira”, assegura Roberto Vieira.